Notícias

saneamento básico

Leilão da Cedae no Rio de Janeiro deve atrair investimentos de R$ 30 bilhões

A previsão é que sejam atendidas até 13 milhões de pessoas com serviços de água e esgoto
Publicado em 30/04/2021 20h02 Atualizado em 30/04/2021 20h05
Leilão de Cedae no Rio de Janeiro deve atrair investimentos de R$ 30 bilhões

Presidente Jair Bolsonaro encerrou a cerimônia com a tradicional batida de martelo - Foto: Alan Santos/PR

As vencedoras do leilão da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae) deverão atrair cerca de R$ 30 bilhões em investimentos nos serviços de água e esgoto em municípios do Rio de Janeiro.

O leilão, promovido nesta sexta-feira (30), na sede da Bolsa de Valores (B3), em São Paulo (SP), contou com a presença do Presidente Jair Bolsonaro, que encerrou a cerimônia com a tradicional batida de martelo. “Este é o momento que marca a nossa história, a nossa economia. Um governo voltado para a liberdade de mercado, na confiança dos investidores e na crença que o Brasil pode ser diferente.”

A concessão dos serviços públicos de fornecimento de água, esgotamento sanitário e serviços complementares será por um período de 35 anos. A operação arrecadou cerca de R$ 22,7 bilhões ao país

Segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, a expectativa é que sejam atendidas 13 milhões de pessoas com esgoto e água tratada. Ainda conforme o ministro, pelo menos R$ 1,8 bilhão dos investimentos previstos deverão ser alocados na melhoria dos serviços em favelas. Além disso, o projeto prevê recursos para o meio ambiente, em locais como a Baía de Guanabara e o Rio Guandu. 

O leilão foi estruturado pelo governo do Rio de Janeiro em conjunto com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e teve o edital lançado em 2020. É o maior projeto de concessão de saneamento básico, como afirmou o ministro da Economia, Paulo Guedes. 

Vencedores do leilão da Cedae

Foram colocados em leilão quatro blocos da Cedae e três foram arrematados. A divisão em áreas tem como objetivo tornar viável a operação e garantir mais investimentos necessários.

O Consórcio Aegea venceu o leilão do bloco 1, com um valor de outorga fixa de R$ 8,2 bilhões, um ágio de 103%. A área abrange a zona sul no Rio e 18 municípios. 

O mesmo consórcio venceu o bloco 4, que inclui as regiões centro e norte do Rio de Janeiro e mais oito cidades, com um valor de outorga fixa de R$ 7,203 bilhões, um ágio de 187%, acima do valor de referência.

O vencedor do bloco 2 foi a empresa Iguá Projetos, com um valor de outorga de R$ 7,286 bilhões, um ágio de 129%. Compreende Barra e Jacarepaguá, além de Miguel Pereira e Paty do Alferes. Já o bloco 3 não recebeu oferta.

Num total, somando os três blocos arrematados, foram arrecadados, pelo Governo Federal, mais de R$ 22 bilhões em outorga fixa.

A Companhia Estadual de Água e Esgoto continuará responsável pela captação, tratamento e fornecimento de água a outros concessionários do estado do Rio.