Notícias

Saúde

Presidente edita MP para acelerar o processo de vacinação contra a Covid-19

Medida consolida o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a doença como instrumento estratégico para a imunização
Publicado em 06/01/2021 21h51 Atualizado em 06/01/2021 21h53
Presidente edita MP para acelerar o processo de vacinação contra a Covid-19

A Medida Provisória tem o objetivo de conferir maior dinamismo ao processo - Foto: Agência Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, editou Medida Provisória (MP) que possibilita a aquisição de vacinas, insumos, bens e serviços de logística, tecnologia da informação e comunicação, além de treinamentos destinados à vacinação contra a Covid-19. O documento também trata do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a doença. 

A Medida Provisória possibilitará que sejam adquiridos insumos e vacinas em fase de desenvolvimento e em momento prévio ao registro sanitário ou à autorização de uso excepcional e emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Outro ponto importante trazido pela Medida Provisória diz respeito à consolidação do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 como instrumento estratégico para a imunização de toda a população brasileira. Sobre a possibilidade de compra de vacinas ainda em desenvolvimento, é importante destacar que o início da vacinação somente poderá ocorrer após o registro ou depois da emissão da autorização excepcional e emergencial pela Anvisa. 

Para acelerar o processo de vacinação da população brasileira contra a Covid-19, a Medida Provisória traz ainda regras que flexibilizam as normas de licitação, possibilitando que as partes estabeleçam os termos contratuais, notadamente os que versam sobre eventual pagamento antecipado, inclusive com a possibilidade de perda do valor; hipóteses de não penalização da contratada; bem como outras condições indispensáveis para obter o bem ou assegurar a prestação do serviço.  A possibilidade de perda e não penalização não se aplica em casos de fraude, dolo e culpa exclusiva da fornecedora.