Notícias

Coronavírus

Empresários garantem apoio ao Governo Federal no combate aos efeitos do coronavírus

Setor produtivo brasileiro se colocou à disposição para auxiliar na crise causada pelo avanço da pandemia no País
Encontro empresários coronavírus

Presidente Jair Bolsonaro e ministros de Estado participam de videoconferência com representantes da iniciativa privada. Foto: Isac Nóbrega/PR

Durante videoconferência com o presidente Jair Bolsonaro, ministros de Estado e empresários brasileiros, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, em nome do setor produtivo, parabenizou as ações tomadas pelo Governo Federal diante dos efeitos causados pela pandemia do coronavírus e declarou o total apoio do grupo para novas ações. 

Para Paulo Skaf, se a crise da saúde for combatida, vai ser possível recuperar a economia. "Dentro dessa linha, governos quebram burocracia. O grupo [setor produtivo] que está aqui nesta reunião, está à disposição para ajudar o País e ajudar o governo para enfrentar esta guerra. A burocracia no setor privado é perto de zero. As pessoas que estão envolvidas têm comando nos seus grupos e têm a disposição de ajudar", asseverou.

Skaf também sugeriu a participação do setor produtivo nos conselhos de governo que estão gerindo a crise. A sugestão foi acolhida pelo Governo Federall. "Eu penso que agora é momento de união. União de todos os brasileiros, poderes, união da sociedade. E é isso que nós queremos dizer. Todas as necessidades que se possa ter de materiais, nós estamos dispostos a ajudar", frizou.

Skaf concluiu dizendo que é preciso um grupo pensando neste momento da crise econômica e outro pensando em como o Brasil vai sair dela com a maior velocidade possível. "É muito importante administrarmos essa crise econômica e planejamos a saída dela para nós ganhamos tempo. Não podemos improvisar nada. Nossa visão é uma visão diferente e complementar", disse. "Nós podemos, devemos e queremos ajudar neste momento. Estamos juntos como brasileiros, acima de tudo, para ajudar a resolver essas questões", concluiu o presidente da Fiesp.