Notícias

Novo coronavírus

Operação Regresso é segura, garante Bolsonaro

Missão que fará repatriação de brasileiros já está na China; cerca de 30 cidadãos estão sendo retirados da província de Wuhan, na China, epicentro dos casos da doença
Publicado em 07/02/2020 14h23
Operação Regresso é segura, garante Bolsonaro

Presidente durante reunião de status da Operação Regresso à Pátria Amada - Foto: Marcos Corrêa/PR

Na manhã desta sexta-feira (7), o presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve na sede do Ministério da Defesa para acompanhar as atualizações da operação "Regresso à Pátria Amada Brasil". A missão promove o resgate de cerca de 34 brasileiros que estão na província de Wuhan, China, epicentro dos casos de infecção pelo novo coronavírus. A previsão de chegada ao Brasil é à meia-noite deste sábado para o domingo.

O presidente destacou a segurança da operação. "Não existe qualquer risco para terceiros aqui no Brasil. Uma operação muito bem preparada e planejada, bem demonstra a dedicação, o empenho e o patriotismo de todos os envolvidos. [A missão] será cumprida de forma ímpar", garantiu Bolsonaro.

“Quanto ao apoio aéreo, estamos exatamente agora, 10h15, decolando as aeronaves da cidade de Urumqi, que é o último pouso antes da chegada ao destino final, Wuhan. O pouso na cidade que é o epicentro do coranavírus estava estimado para 13h30, horário de Brasília", informou o coordenador da Operação no âmbito da Força Aérea, o Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno.

A operação é uma ação interministerial realizada com o apoio de duas aeronaves VC-2, (modelo Embraer-190) de transporte presidencial. Estão a bordo de cada aeronave 11 tripulantes e 6 profissionais de saúde da Força Aérea Brasileira (FAB), além de um médico do Ministério da Saúde.

O Ministério da Defesa, por meio da FAB, em conjunto com o Ministério da Saúde, Ministério das Relações Exteriores e demais órgãos do governo, atuam seguindo protocolos e instruções oficiais para garantir a segurança tanto dos passageiros quanto dos militares envolvidos na missão.

As equipes de saúde envolvidas são capacitadas para realizar missões de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (DQBRN), que consiste em empregar Meios de Força Aérea para deslocar pessoal e material que tenham sido submetidos à ação de agentes Químicos, Biológicos, Radiológicos e/ou Nucleares, e para transportar pessoal e material especializados nas atividades decorrentes de eventos DQBRN.

Quarentena

Os cidadãos resgatados pela missão, bem como a tripulação e equipe médica, ficarão em quarentena, por 18 dias, na Base Aérea de Anápolis (GO). Todos contarão com serviços essenciais para a manutenção da saúde física e mental: 3 monitoramentos diários de saúde (realizados pela Secretaria de Saúde do Estado de Goiás); serviço religioso; apoio psicológico e pedagógico; emergência odontológica; primeiros socorros; e nutricionista.

Os cidadãos em quarentena também contarão com diversas facilidades no serviço de hospedagem: internet, tv a cabo, frigobar, lavanderia, copa 24h, máquina de gelo, geladeira e helpdesk.

As instalações da base permitem o isolamento em apartamentos individuais em "área branca" para quem não tem sintomas; "área amarela" para quem tem qualquer intercorrência de saúde; e, caso necessário, uma "área vermelha" para uma evacuação aeromédica para o Hospital das Forças Armadas em Brasília (DF).

Com informações do Ministério da DefesaFAB, e Ministério da Saúde.