Notícias

Ministros do Turismo do G20 debatem retomada e futuro do setor

Gilson Machado Neto destacou necessidade de unificação de protocolos sanitários
Publicado em 04/05/2021 18h32
040521 - g20.png

Ministro reforçou a necessidade da criação de um protocolo sanitário único em todo o mundo. Crédito: Roberto Castro/MTur

Os ministros do Turismo do G20 debateram nesta terça-feira (04.05), por videoconferência, a retomada do setor de forma segura e traçaram cenários para o pós-pandemia. Durante toda a manhã, representantes de várias regiões do mundo destacaram a necessidade de pensar em políticas para uma mobilidade segura e um turismo sustentável. O ministro Gilson Machado Neto reforçou a necessidade da criação de um protocolo sanitário único em todo o mundo.

O turismo representa cerca de um em cada dez postos de trabalho a nível mundial e ajudou a criar um em cada quatro postos de trabalho entre 2014 e 2019, de acordo com números do Conselho Mundial de Viagens e Turismo, citados pela atual presidência do G20, que atualmente é assumida por Itália. Em 2020, o turismo foi um dos setores mais atingidos pela pandemia e ainda não se recuperou, uma vez que muitos países ainda a mantém suas fronteiras fechadas para evitar a propagação do novo coronavírus.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, destacou, durante sua participação no evento, que vivemos o momento de estabelecer parâmetros para reativar o turismo e unificar os protocolos sanitários entre os países. "Vejo através da elaboração de um protocolo único, simples e objetivo entre todos os países, uma grande saída para recuperarmos e retomarmos o turismo de nossos países de forma segura e eficiente para todos”, disse.

Machado Neto ressaltou também a importância de todos os países agirem unidos em relação à vacinação mundial. “Temos vários países realizando a vacinação da sua população com várias vacinas diferentes que estão no mercado. E hoje já vemos vacinas, como a Coronavac, por exemplo, que já estão sendo preteridas por alguns países”, afirmou. “E nós gostaríamos que o mundo unificasse um protocolo o acesso de um país ao outro de forma universal, principalmente para os países de tradição turística, por exemplo nós os países da América Latina, os países do Caribe, da Europa”, declarou.

Por fim, o ministro brasileiro destacou a importância da sustentabilidade no turismo e as tendências para o período pós-pandemia. “Nesse momento em que todos aqui falam em sustentabilidade, quero dizer que somos o País mais preservado do mundo: 66% do nosso território e 87% da Amazônia se encontra igual a quando Jesus Cristo chegou na terra. Apenas 3% da emissão de poluentes ocorre aqui”, concluiu Machado Neto.

 

Por Rafael Brais

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo