Notícias

CONECTIVIDADE

Aviação regional é ampliada no Amazonas e diversificará turismo do estado

Em cerimônia que contou com a participação do ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, a Azul Linhas Aéreas anunciou a inclusão de novos destinos no estado
Publicado em 10/06/2021 16h17
10.06.2021_Matéria Azul.jpg

Ministro do Turismo em cerimônia de anúncio. Crédito: Roberto Castro/MTur

O estado do Amazonas contará, a partir do 2º semestre do ano, com novas rotas aéreas comerciais regulares para oito destinos do estado. É que a Azul Linhas Aéreas anunciou nesta quinta-feira (10.06) que, entre agosto e dezembro, as cidades de Eirunepé, Barcelos, Apuí, Itacoatiara, Humaitá, Borba, Novo Aripuanã e São Gabriel da Cachoeira receberão voos da empresa. A medida deve ampliar as atividades turísticas amazonenses, já que facilitará a acessibilidade de turistas a locais até então desconhecidos por grande parte dos visitantes.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, a iniciativa da Azul vem ao encontro das ações do governo federal para ampliar a malha aérea regional e, consequentemente, as atividades turísticas no Brasil. “Não existe turismo em um país de dimensões continentais como o nosso sem a aviação regional. E a expansão da aviação no Amazonas será um importante diferencial para que possamos desenvolver ainda mais o potencial do estado, principalmente no que se refere ao turismo de natureza, uma das principais tendências para o cenário pós-pandemia”, disse Machado Neto.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, que também acompanhou a cerimônia, destacou a importância dessa medida para a democratização da aviação. “A gente está falando de levar a aviação para o interior, de democratizar o serviço de aviação, de conectar as pessoas que lá naquela região dependem muito do serviço de transporte aéreo. Essas pessoas vão se conectar ao Brasil e ao mundo e o mundo vai se conectar com a Amazônia”, avaliou.

Além da inclusão dos novos destinos, a Azul ainda reativou outras três cidades: Coari, Lábrea e Maués; e deverá colocar mais assentos à disposição para os voos com destino à Parintins (AM). O plano ainda contará com todos os tipos de aeronaves da frota, de nove a até 300 assentos, operando cerca de 27 voos diários a partir de Manaus e atendendo a 20 destinos diretos desde a capital amazonense.

“Nosso acordo com o governo do Amazonas e o apoio da administração federal permitirão que, pela primeira vez em sua história mais recente, o Amazonas tenha uma grande quantidade de cidades servidas por uma companhia aérea de expressão nacional e internacional, provendo a conectividade de Clientes e negócios com os mais altos padrões de segurança e qualidade operacional. Estamos felizes em ser a maior companhia aérea do Brasil em número de destinos atendidos no país e vamos fazer valer também essa marca para o Amazonas e região”, destacou John Rodgerson, presidente da Azul.

De acordo com o presidente da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Sérgio Litaiff Filho, esta parceria vai permitir a conexão de regiões turísticas a serem trabalhadas prioritariamente em parceria com o Ministério do Turismo. “Nessa retomada das atividades econômicas no estado do Amazonas, o turismo tem um papel importantíssimo e a acessibilidade através de malha aérea precede a tudo isso. Quando ganhamos a inclusão de novos voos para municípios do estado, facilitamos a oportunidade de visitação de destinos turísticos já consolidados, a exemplo de Parintins e Barcelos, até outros potenciais produtos em desenvolvimento, como a cidade de Maués”, finalizou.

AVIAÇÃO REGIONAL - A meta do governo federal é preparar o Brasil para chegar até 2025 com 200 cidades oferecendo voos regulares. Em 2019, havia 128 aeroportos brasileiros operando de forma regular, de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). A partir de 2020, a pandemia afetou a oferta de voos, assim, até o início deste ano apenas 96 localidades estavam sendo atendidas. Com a diminuição do fluxo de passageiros, o Ministério da Infraestrutura tem buscado acelerar obras de reforma e ampliação em diferentes aeroportos.

Por Victor Maciel

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Viagens e Turismo