Notícias

Brasil passa a ter mais 18 Oficiais de Controle de Dopagem de nível internacional

Acordo inédito entre ABCD e a Agência Internacional de Testes (ITA) permitiu qualificação de profissionais que agora podem atuar em competições como as Olimpíadas e Paralimpíadas
Publicado em 20/10/2021 09h28

Um time de 18 Oficiais de Controle de Dopagem do Brasil está apto a atuar em qualquer competição mundial. Eles concluíram o curso de alto nível da Agência Internacional de Testes (ITA), fruto de um Acordo de Cooperação Técnica com a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) assinado em setembro deste ano.

A secretária nacional da ABCD destaca que o acordo, inédito no país, foi importante para contribuir com a missão de o Brasil ser protagonista na política antidopagem mundial. “Trabalhamos para elevar o nível da antidopagem em todos os aspectos. Nesse sentido, a cooperação internacional com entidades como a ITA nos coloca no patamar mais elevado sobre o tema. Por isso, incentivamos e damos todo o suporte para que esses profissionais se capacitem ainda mais”, declarou Luísa Parente.

O treinamento é uma certificação adicional dos oficiais já atestados pela ABCD e que cumprem uma série de requisitos em controle de dopagem, tais como experiência em testar atletas de nível internacional, tempo mínimo de carreira, determinado número de missões realizadas recentemente e fluência em inglês.

A Autoridade Brasileira foi a responsável por viabilizar o treinamento, indicar os oficiais que cumpriam os requisitos, além de dar suporte aos profissionais na realização das etapas do curso. Após concluírem os sete módulos online e serem aprovados em um exame final em que o aproveitamento deveria ser superior a 80%, os oficias já podem atuar em competições como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, por exemplo.

“É uma prova com um alto nível de exigência e aproveitamento. Todos os 18 oficiais que indicamos concluíram com sucesso todas as etapas e foram certificados. Esses oficiais, agora, estão autorizados a realizar controle de dopagem em nível internacional, podendo ser contratados por outras organizações antidopagem para atuar no Brasil e fora do país”, detalhou Anthony Moreira, diretor técnico da ABCD.  

Duas servidoras da ABCD fizeram o curso da ITA, denominado International Doping Control Officer (IDCO) em inglês, e que foi encerrado no início de outubro. A coordenadora de operações da Autoridade Brasileira, Maria Fernanda Carraca, explicou que além de focar na transição da legislação, que em 2021 passou a contar com o novo Código Mundial Antidopagem, o curso abordou habilidades avançadas de gerenciamento de equipes e profissionais.

“São habilidades exigidas no ambiente de esportes de elite. Aprendemos, por exemplo, abordagens eficazes de comunicação que dão suporte aos atletas durante todo o processo de teste. É sempre importante essa interação entre experiências, uma vez que nós realizamos diversas missões em cooperação com a ITA. Dessa forma, manter padronização e harmonização das melhores práticas é fundamental”, detalhou Maria Fernanda.

A coordenadora geral científica da ABCD, Adriana Taboza, avalia que o aprendizado adquirido na capacitação vai ser importante na multiplicação dos conhecimentos para os agentes que atuam no Brasil. “A Certificação ITA me capacita a trabalhar em qualquer lugar do mundo, em grandes eventos e em eventos internacionais. Como responsável por capacitar os agentes aqui no Brasil, o curso apresenta uma metodologia minuciosa que certamente agregará na forma como aplicamos nosso treinamento para os agentes ABCD”, concluiu.

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania