Notícias

Museu da Inconfidência reabre com exposição

Publicado em 18/11/2021 22h04 Atualizado em 19/11/2021 11h39
Jorge acervo.jpg

Obra de Jorge Fonseca na exposição “Bodas de Prata da Casa: celebrando 25 anos de carreira, onde tudo começou”

Hoje, 18, a exposição "Bodas de Prata da Casa" do artista plástico Jorge Fonseca, composta por 25 peças, marcou a reabertura da sala de exposição temporária Manuel da Costa Ataíde, no Museu da Inconfidência/Ibram. O jardim anexo ao museu também está aberto. Em função da pandemia do Covid-19, há limitação no número de visitantes e aplicação dos demais protocolos de segurança sanitária exigidos.

Segundo informação da diretora do Museu, Rosalina Neves de Assis, em breve, vai acontecer a reabertura das exposições de longa duração ao público. A retomada do atendimento aos pesquisadores dos setores de arquivo histórico e biblioteca Rui Mourão já está em curso, no entanto, para pesquisar nos acervos bibliográficos e arquivísticos, é necessário agendar, com antecedência, dia e horário por meio dos seguintes e-mails:

Arquivo histórico: arquivo.mdinc@museus.gov.br
Biblioteca Rui Mourão: talita.silva@museus.gov.br

Exposição Bodas de Prata da Casa: celebrando 25 anos de carreira, onde tudo começou

 Jorge Fonseca, mineiro de Conselheiro Lafaiete, era maquinista de trem. Quando a locomotiva parava numa estação ou num cruzamento, Jorge debruçava-se sobre um tecido e começava a bordar. E foi bordando, tricotando e costurando que criou um universo próprio e particular presente em importantes coleções e museus.

Atualmente, reside na cidade de Ouro Preto. Em 2009, recebeu da Fundação Pollock-Krasner, de Nova York, uma “bolsa de estímulo à produção” – por mérito e conjunto da obra. Em 2016, conquistou o 1º lugar no Prêmio Funarte – Conexão Circulação Artes Visuais. Em 2017, foi indicado ao Prêmio PIPA e venceu o Prêmio PIPA OnLine – por votação popular.

Nesse universo, a exposição, composta por 25 peças, captura a poética encontrada na vida cotidiana, como os jogos populares, as rinhas de brigas de galo e os troféus esportivos. Na exposição, há referências a Bispo do Rosário (Sergipe, 19111 - Rio de Janeiro, 1989) artista plástico brasileiro que produziu objetos com diversos itens oriundos do lixo e da sucata classificados como arte vanguardista.

 A exposição vai funcionar até o dia 18 de janeiro de 2022. De terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados das 10h às 15h.

Mais informações nas redes sociais do Museu da Inconfidência.



Cultura, Artes, História e Esportes