Notícias

Depen realiza oficina de integração sobre projetos referencias de Cadeia Pública e Penitenciária de Segurança Média

Publicado em 10/09/2020 11h13
engenharia.jpg

Brasília, 10/09/2020 - Nos dias 27 e 28 de agosto de 2020, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), a Universidade de Brasília e a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec) organizaram um evento on-line de integração junto aos engenheiros e arquitetos das unidades federativas para divulgar e obter considerações relevantes quanto aos projetos referenciais cedidos em 2019, referentes às unidades de Cadeia Pública e Penitenciária de Segurança Média, ambas com capacidade para 800 vagas.

Por intermédio da apresentação dos resultados aos técnicos da administração penitenciária estadual, o Depen buscou captar de forma significativa as possíveis críticas e sugestões referentes aos trabalhos técnico-acadêmicos desenvolvidos durante a elaboração dos produtos e do Protocolo Building Information Model - BIM - DEPEN/UnB.

O evento contou com 175 inscritos, entre engenheiros, arquitetos, profissionais da segurança pública com formação em engenharia ou arquitetura, gestores públicos e servidores da Controladoria Geral da União, Caixa Econômica Federal e Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Este é mais um dos eventos que a atual gestão vem realizando desde 2019 no projeto "ESTUDOS E PESQUISA EM ARQUITETURA PENAL JUNTO AO DEPEN/MJSP" referente à parceria com a UNB, iniciada em 2018.

Sobre a parceria – O Depen e a UNB assinaram, em dezembro de 2018, um Termo de Execução Descentralizada (TED) com o objetivo de fortalecer o conhecimento específico da arquitetura penal, para padronização dos projetos de presídios no Brasil. A época, cada unidade da federação desenvolvia a sua arquitetura prisional de forma independente.

A parceria Depen e UNB está na segunda etapa, sendo que a terceira está em fase de planejamento estratégico. Na primeira etapa estão previstos a elaboração dos projetos arquitetônicos da cadeia pública e da penitenciária de segurança média, além de outros projetos de pesquisa. Esses projetos referenciais já foram entregues em 2019 e disponibilizados às Unidades Federativas.

 A segunda etapa compreende a entrega dos produtos e resultados dos Projetos de Pesquisa de Implementação da tecnologia BIM, Caracterização da Cadeia Produtiva da Edificação Penal (CPEP), conformação de referências de custo de construção da edificação penal e manuais de arquitetura e engenharia de edificações penais. Os produtos estão em fase final de desenvolvimento e revisões.

A terceira etapa amplia os estudos e a pesquisa iniciais, aproveitando os métodos e estruturas analíticas concebidas nas duas primeiras etapas na concepção dos demais projetos arquitetônicos padronizados. Além disso, o estudo do espaço arquitetônico prisional dedicado à mulher presa será acrescentado ao escopo desta etapa, em especial, com o desenvolvimento de blocos de berçário e creche.

A quarta etapa encerra os trabalhos com a apresentação de relatórios técnico-científicos contendo a memória dos estudos realizados, além de considerações pertinentes aos resultados obtidos. Será apresentada conclusão a respeito da evolução da arquitetura penal, em especial, da configuração de um padrão arquitetônico penitenciário brasileiro e a indicação de tendências futuras para a edificação penal.

 

Serviço de Comunicação Social do Depen