Notícias

Operação Ladino

CGU colabora com investigações de fraude no Auxílio Emergencial no Amapá

Objetivo do trabalho, em parceria com a Polícia Civil, é contribuir com informações de inteligência que permitam a captura de foragidos da justiça
CGU colabora com investigações de fraude no Auxílio Emergencial no Amapá

Operação Ladino – 2ª Fase consiste no cumprimento de 55 mandados judiciais de prisão temporária ou definitiva

A Controladoria-Geral da União (CGU) colabora com a segunda fase da Operação Ladino, deflagrada nesta quarta-feira (29) pela Polícia Civil do Estado do Amapá (PC-AP). O objetivo do trabalho é contribuir com informações de inteligência que permitam aos órgãos de persecução penal capturarem foragidos da justiça com mandados de prisão em aberto.

A Unidade Regional da CGU no Amapá enviou à PC-AP uma lista com mais de 400 nomes de suspeitos registrados como beneficiários do Auxílio Emergencial do Governo Federal. Após cruzamentos realizados com a base de dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), foi possível mapear possíveis endereços dos criminosos na capital e em municípios do Estado.

A Operação Ladino – 2ª Fase consiste no cumprimento de 55 mandados judiciais de prisão temporária ou definitiva. Entre os investigados, há condenados e procurados por homicídio, estupro, latrocínio, roubo e tráfico de drogas. Além de serem levados para cumprir pena pelos delitos já cometidos, os envolvidos devem responder por falsidade ideológica e estelionato.

Monitoramento contínuo

A CGU tem participado ou colaborado com diversas operações especiais, em todo o país, para evitar desvios e fraudes, garantindo que o Auxílio Emergencial seja pago a quem realmente tem direito. O trabalho consiste no cruzamento contínuo de diversas bases de dados do Governo Federal e permite a identificação de situações de potencial incompatibilidade com as regras e requisitos legais exigidos para a concessão do benefício.

A CGU, por meio da Ouvidoria-Geral da União (OGU), mantém o canal Fala.BR para o recebimento de denúncias. Quem tiver informações sobre esta operação ou sobre quaisquer outras irregularidades, pode enviá-las por meio de formulário eletrônico. A denúncia pode ser anônima, para isso, basta escolher a opção “Não identificado”.