Notícias

Evento

Rede Girc debate técnicas para mapeamento de riscos operacionais

22ª reunião foi sediada pela CGU e debateu temas sobre mapeamento de riscos
Publicado em 20/02/2020 11h34 Atualizado em 21/02/2020 09h23
Rede Girc debate técnicas para mapeamento de riscos operacionais

Painéis abordaram assuntos sobre a importância do mapeamento de riscos, bem como exemplos práticos e diferentes métodos utilizados na identificação de riscos operacionais

A Controladoria-Geral da União (CGU) sediou nesta quarta-feira (19) a 22ª reunião da Rede Governança, Integridade, Riscos e Controles Internos (Girc). Os painéis abordaram assuntos sobre a importância do mapeamento de riscos, bem como exemplos práticos e diferentes métodos utilizados na identificação de riscos operacionais.

O encontro contou com a participação da coordenadora-geral de Integridade Pública da CGU, Carolina Carballido, do secretário de Controle Interno do Ministério da Defesa, Paulo Grazziotin, do assessor técnico na Coordenação-Geral de Conformidade da Casa Civil, João Batista Ribas de Moura, bem como do coordenador-geral na Diretoria de Auditoria de Estatais da Secretaria Federal de Controle Interno (SFC), José Antônio de Carvalho Freitas.

A próxima reunião será no dia 26 de março.

Painéis:

Durante o evento, os painéis abordaram assuntos sobre o mapeamento e a identificação dos riscos operacionais e contou com a participação, como mediadora, da coordenadora-geral de Integridade Pública da CGU, Carolina Carballido.

O secretário de Controle Interno do Ministério da Defesa, Paulo Grazziotin, apresentou o painel “Abordagem culturalista sobre condicionantes para o uso satisfatório de técnicas para o mapeamento de riscos”. O painel abordou a importância do fator humano e cultural no mapeamento de riscos.

Já o coordenador-geral de Conformidade da Casa Civil, João Batista Ribas de Moura, abordou em seu painel exemplos práticos e diferentes métodos utilizados na identificação de riscos operacionais, considerando ISSO 31010, Coso e Orange Book.

Por fim, o coordenador-geral na Diretoria de Auditoria de Estatais da CGU, José Antônio de Carvalho Freitas, a partir de conceitos da ISO 3100, e agregando sua experiência prática na auditoria de estatais, mostrou técnicas para identificação dos riscos operacionais, como Bow Tie, Brainstorming, mapeamento de processos.

A Rede

A Rede GIRC foi criada para que os órgãos, entidades e instituições do Poder Público adotem medidas coordenadas de sistematização de práticas relacionadas a governança pública, integridade, gestão de riscos e controles internos.

A Rede GIRC é um dos resultados práticos da IN Conjunta MP/CGU nº 1/2016, que instituiu procedimentos para gerir os riscos, proteger a integridade das instituições e a segurança dos recursos públicos. Criada pelo então Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, hoje Ministério da Economia, em conjunto com a CGU, a rede tem ampliado parcerias e auxiliado no fortalecimento da gestão riscos nos órgãos públicos. Atualmente, é composta por cerca de 100 órgãos e instituições da administração direta e indireta.