Notícias

10 anos do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos em Brasília (CdE/PMA)

Evento virtual reuniu parceiros da cooperação Sul-Sul e representantes de outros centros no mundo, inspirados pelo CdE/PMA.
Publicado em 08/11/2021 00h00 Atualizado em 11/11/2021 12h26
10AnosCdEUm dos parceiros mais atuantes do Governo brasileiro na implementação de ações de Cooperação Sul-Sul Trilateral em alimentação escolar está celebrando 10 anos de atividade: o Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA), em Brasília. Para marcar a data de sua criação, o Centro promoveu, em 04/11, o evento virtual: “Acelerando a Cooperação Sul-Sul na luta contra a fome: a celebração de 10 anos do Centro de Excelência do PMA no Brasil”.
 
O Embaixador Demétrio Carvalho, Diretor-Adjunto da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores (MRE), afirmou que o Centro de Excelência se dedica a ajudar na promoção da Cooperação Sul-Sul Trilateral para apoiar os países em alcançar a Fome Zero e contribuir no avanço das políticas públicas de segurança alimentar no mundo: “O Centro contribuiu e continuará contribuindo com um processo ininterrupto de sensibilização e de fortalecimento de capacidades técnicas – objetivo maior da cooperação técnica Sul-Sul brasileira – de muitos países em desenvolvimento como Benim, Guiné-Bissau, Moçambique, Quênia, Tanzânia e muitos outros. Temos grande satisfação em fazer parte disso”, disse.
 
O diplomata reforçou o trabalho de êxito na parceria Brasil-PMA como vetor que permite ao Governo brasileiro expandir o atendimento à crescente demanda de outros países em desenvolvimento, desejosos de aprofundar o conhecimento sobre o bem-sucedido Programa Nacional de Alimentação Escolar, o PNAE, do Brasil.
 
David Kaatrud, Diretor da Divisão de Programas Humanitários e de Desenvolvimento do PMA, afirmou que o Centro tem sido essencial para a construção de uma parceria valiosa entre o PMA e o Governo do Brasil, mas também como instrumento inicial de promoção para o envolvimento do PMA com a modalidade de cooperação Sul-Sul trilateral. “Baseado no generoso e consistente suporte técnico e financeiro dado pelo Governo do Brasil, o Centro de Excelência do PMA tem tido um papel fundamental para fornecer experiência prática, assim como ser fonte de inspiração para muitos governos”, destacou. “O tema Sul-Sul tem feito cada vez mais parte da agenda do PMA, com cerca de 85% dos nossos escritórios locais apoiando os respectivos governos dos países onde estamos localizados a aprender e compartilhar com governos de países em desenvolvimento conhecimentos e iniciativas  sobre alimentação e segurança alimentar”.
 
 O Diretor do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos em Brasília, Daniel Balaban, lembrou que o Centro foi criado para servir como ponto focal de disseminação de boas práticas, de modo a apoiar países na implementação, ou incremento, de políticas públicas de alimentação e segurança alimentar. “Este Centro de Excelência foi pioneiro dentro do PMA, e hoje colabora com outros centros espalhados pelo mundo, sendo o maior promotor do tema - o que resulta em benefícios socioeconômicos para crianças e populações vulneráveis em diversos países em desenvolvimento”, disse. “O apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação e da ABC, assim como a inclusão de outros parceiros comprometidos com soluções sustentáveis para a luta contra a fome e a pobreza nos ajudou a solidificar a presença do Centro para o diálogo de políticas públicas e para o treinamento em alimentação escolar e segurança nutricional”.
 
Soluções
 
A Coordenadora-Geral do Programa Nacional de Alimentação Escolar, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Karine Santos, apresentou o PNAE para os participantes do evento e fez eco às palavras de Balaban quanto à solução inovadora em apresentar o PNAE para os países por meio da ferramenta “Visitas de Estudos Virtual”, promovido pela CdE/PMA em parceria com a ABC e o FNDE, e que se mostrou ainda mais útil com o advento das restrições de viagem em vista da pandemia do novo coronavírus. Karine lembrou, ainda, a adequação à lei, ocorrida no Brasil, para garantir a distribuição de alimentos às crianças e adolescentes durante o regime de isolamento social. “O PNAE, que tem seis décadas de existência, foi construído em cima de dois pilares: o direito à educação e o direito humano à alimentação adequada e saudável”, lembrou Santos. A coordenadora ressaltou aos participantes que o sucesso do Programa, tanto no Brasil como no contexto da cooperação Sul-Sul, se dá por meio da articulação de diferentes atores, pela intersetorialidade: “O Brasil segue atendendo a todos os alunos da rede pública; o FNDE segue acreditando nesse trabalho da cooperação Sul-Sul e predisposto a trabalhar junto com  nossos parceiros, e acreditando no trabalho estratégico que os centros de excelência, agora também na China e na Costa do Marfim, podem realizar nessa sinergia de compartilhamento de informações para a implementação de políticas de alimentação escolar em todo o mundo.”
 
Aurore Rusiga, representante do PMA no Reino de Lesoto, falou sobre a experiência com a “Visita de Estudos Virtual: Brasil”, mecanismo criado para apresentar o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) brasileiro por meio de oito vídeos. O Lesoto foi o primeiro país a participar da experiência, criada pelo Centro de Excelência, em parceria com a ABC e o FNDE.  Rusiga destacou as lições aprendidas, especialmente sobre a importância do monitoramento e da participação das comunidades para a implementação de programas como o PNAE. “Modelos inovadores têm se tornado a marca registrada dessa nova era”, disse. “Como todos sabemos, ninguém pode ter sucesso sozinho, precisamos ter apoio uns dos outros para atingir o objetivo global da Fome Zero”.
 
A representante do Governo da Costa do Marfim Dra. Patricia Ngoran, Conselheira Presidencial sobre nutrição e ponto focal do governo para o Centro Regional de Excelência contra a Fome e a Desnutrição (CERFAM), do PMA, na Costa do Marfim, elogiou o trabalho realizado pelo Brasil no tema. “O Brasil é um exemplo para nós africanos, um exemplo de combate à fome e também de programas de alimentação escolar”, elogiou. “O Centro de Excelência é o modelo de cooperação Sul-Sul,  dentro do PMA, que inspirou a criação do CERFAM na Costa do Marfim.”

Peter Rodrigues, Gerente do Secretariado da Cúpula de Sistemas Alimentares do PMA na ONU, reforçou a ideia de que o Centro de Excelência no Brasil inspirou o surgimento de outros centros no mundo, cujo papel é o de apoiar os governos a atingir seus objetivos adequando os melhores formatos de atuação conforme a realidade de cada país. “É preciso que nossa atuação seja de assistência aos governos, que deve ser feita do ponto de vista multisetorial”, informou. “Não é possível atingir Fome Zero, ou nenhum dos ODS, se não houver um envolvimento multisetorial, assim como é essencial que os governos detenham a propriedade dos programas que querem implementar”, opinou Rodrigues.".