Notícias

Medida Provisória antecipa venda direta de etanol e a flexibilização da tutela à bandeira

A regra que flexibiliza a tutela à bandeira poderá ser regulamentada por Decreto, e haverá possibilidade de adesão imediata ao regime tributário que permitirá a venda direta de etanol
Publicado em 14/09/2021 12h45 Atualizado em 14/09/2021 12h46
agriculture-4402811_1920.jpg

- Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, editou Medida Provisória que tem por objetivo antecipar a aplicabilidade das inovações introduzidas recentemente pela MP nº 1.063, de 11 de agosto de 2021, que permite a venda direta de etanol e flexibiliza a chamada “tutela à bandeira”, além de incluir a cooperativa de produção ou comercialização de etanol e a empresa  comercializadora de etanol (ECE) na cadeia de comercialização, de modo que também possam vender etanol diretamente para o comerciante varejista.

Pelas normas atuais da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), os postos que optem por exibir a marca comercial de um distribuidor, ditos “bandeirados”, ficam proibidos de comercializar combustível de outro distribuidor diferente da marca exibida. A MP nº 1.063, de 2021, põe fim a essa vedação, possibilitando novos modelos de negócios entre posto e distribuidor e ampliando a competitividade no setor. Porém, a nova regra somente teria efeito após a ANP regulamentar sua aplicação, que recebeu o prazo de 90 dias para publicar o normativo.

Contudo, dados os potenciais benefícios que a antecipação da flexibilização da tutela à bandeira poderá proporcionar aos consumidores de combustíveis, o Governo entendeu ser relevante criar mecanismos para sua aplicabilidade no menor tempo possível. Para isso, é essencial que haja regulamentação do assunto, sobretudo para garantir a informação adequada e clara aos consumidores a respeito da origem dos produtos comercializados. Conforme a nova Medida Provisória, a regra que flexibiliza a tutela à bandeira poderá ser provisoriamente regulamentada por Decreto até que sobrevenha a regulação da ANP.

Outra medida importante estabelecida pela Medida Provisória em benefício dos consumidores diz respeito à opção pela antecipação da venda direta de etanol pelos produtores ou importadores aos revendedores varejistas, dispensando a intermediação de agentes distribuidores. Com isso, buscou-se dinamizar o setor e reduzir custos de transação, o que se reverterá em benefícios aos consumidores.

Buscando dinamizar a entrada em vigor da venda direta de etanol, a nova Medida Provisória autoriza que os interessados optem pela aplicação imediata dessas regras, desde que se submetam ao novo regime tributário previsto na MP nº 1.063. Nesse caso, caberá ao produtor avaliar, de forma individualizada, se entende ser mais vantajoso antecipar voluntariamente as medidas fiscais necessárias e se submeter, desde logo, ao novo regime de comercialização, ou se prefere aguardar o prazo da regra de transição prevista na medida provisória original.

Em suma, a medida busca criar mecanismos adequados para antecipar os efeitos da Medida Provisória nº 1.063 tanto em relação à flexibilização da tutela de bandeira como à possibilidade de venda direta de etanol aos postos revendedores, que têm o potencial para proporcionar benefícios aos consumidores de combustíveis.

 Para mais informações:

Ministério de Minas e Energia
Telefones: (61) 2032-5620