Notícias

Prêmio Nacional de Arquivologia Maria Odila Fonseca 2021

Publicado em 12/07/2021 12h40

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Nacional de Arquivologia Maria Odila Fonseca 2021. Confira aqui o edital do concurso.

O prêmio, que passou por uma reconfiguração no seu público-alvo, segue, em sua terceira edição, comprometido com o dever de fomentar o desenvolvimento do conhecimento científico da Arquivologia no Brasil. 

Serão premiadas as monografias com os seguintes objetos de pesquisas: acervos arquivísticos, instituições arquivísticas ou desenvolvimento da Arquivologia. 

Serão premiados os trabalhos concluídos de pesquisa em Arquivologia ou áreas conexas, defendidos entre 2018 e 2021, e divididos em três categorias distintas:

- Melhor Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação;

- Melhor Dissertação de Mestrado; e

- Melhor Tese de Doutorado.

A temática será de livre escolha do candidato, desde que o tema esteja diretamente ligado e apresente inegável contribuição à Arquivologia.

As inscrições encerram-se às 17h do dia 27 de agosto de 2021

Informativo

Com o objetivo de apoiar o desenvolvimento da área de Arquivologia no país, o Arquivo Nacional lançou em 2017 o Prêmio Nacional de Arquivologia/Maria Odila Fonseca.

Tal iniciativa retoma o prêmio criado pela antiga Associação dos Arquivistas Brasileiros, cujo acervo e direitos foram doados ao Arquivo Nacional e homenageia Maria Odila Fonseca (1953-2007), renomada professora de Arquivologia da UFF e servidora do Arquivo Nacional. O Prêmio se divide em três categorias: a) Melhor Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação; b) Melhor Dissertação de Mestrado e c) Melhor Tese de Doutorado.

A seleção dos trabalhos será realizada por uma Comissão Julgadora composta por professores doutores de comprovada experiência em pesquisa e reconhecimento acadêmico na área de Ciências Sociais Aplicadas.

A Comissão avaliará os trabalhos concorrentes com base em critérios fundamentais de relevância e contribuição da pesquisa para o desenvolvimento do pensamento crítico na área de Arquivologia, ineditismo na abordagem do tema, coerência no desenvolvimento e na organização do texto, citações, transcrições, notas, observações,referências completas das fontes e bibliografia consultadas, conforme regulamento.

Vencedores

2018

- Categoria Monografia de Graduação:  Bianca da Costa Maia Lopes, bacharel em Arquivologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Título: A divulgação de acervos arquivísticos na web: potencialidades da perspectiva de User Experience aplicada ao Sistema de Informações do Arquivo Nacional - SIAN’.


- Categoria Dissertação de Mestrado:  Rodrigo Costa Japiassu, mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Título: Usos e apropriações da memória: documentos arquivísticos em centros de memória do Judiciário Federal Brasileiro.

- Categoria Tese de Doutorado:  Welder Antônio Silva, doutor em Ciências da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Título: Exceções legais ao direito de acesso à informação: dimensões contextuais de informação pessoal nos documentos arquivísticos.

 

2017
- Categoria Monografia de Graduação:  Karina Xavier Holstein, bacharel em Arquivologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Título: ‘Uma análise dos concursos públicos para arquivista no Brasil’.

- Categoria Dissertação de Mestrado:  Cássio Murilo Alves Costa Filho, mestre em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília (UnB). Título: ‘O ciclo vital dos documentos ante o Pós-Custodialismo: o modelo australiano records continuum como instrumento de elucidação’.

- Categoria Tese de Doutorado:  não houve classificado. 

 

Texto: ASCOM-Assessoria de Comunicação Social/ Arquivo Nacional