Notícias

materiais de referência

Material de referência: mais um escopo em que o Inmetro tem reconhecimento internacional da ILAC

Reconhecimento ajuda na eliminação de barreiras técnicas e evita reavaliações de resultados, que aumentam em até 10% do custo de fabricação de produtos
Publicado em 10/09/2021 14h48 Atualizado em 10/09/2021 14h49
ilac-inmetr.jpg

O Inmetro acaba de ampliar, por meio da Coordenação Geral de Acreditação (Cgcre), o escopo do Acordo de Reconhecimento Mútuo (MRA) da ILAC (International Laboratory Accreditation Cooperation) para produtor de material de referência. Com isso, os produtores desse material têm atestada sua competência técnica para realizar essas medições, aumentando a credibilidade dos resultados para os membros da Cooperação, como os Estados Unidos e a comunidade europeia.
 
“Tal reconhecimento permitirá que os produtores acreditados pela Cgcre possam utilizar a marca do MRA da ILAC, combinada com o símbolo de acreditação, e tenham seus resultados válidos em todos os países signatários do acordo, ampliando sua atuação internacional”, resumiu Aldoney Costa, Coordenador Geral da Cgcre.
 
A ILAC Mutual Recognition Arrangement (ILAC MRA) fornece suporte técnico para os materiais de referência produzidos pelos organismos de avaliação de conformidade acreditados que, por sua vez, oferecem confiança em relação à rastreabilidade metrológica de serviços e resultados. Desta forma, a ILAC MRA promove o comércio internacional e a meta de livre comércio. “Acreditado uma vez, aceito em qualquer lugar”, enfatiza Costa.
 
O ILAC é o fórum internacional dos credenciadores de laboratórios de calibrações e ensaios. O Brasil é o único país da América Latina a obter esse reconhecimento.
 
Redução de custo
 
Além de ser o reconhecimento e a aceitação mútua dos resultados dos processos de avaliação da conformidade, o MRA é uma forma efetiva de facilitar a eliminação de problemas no âmbito da Organização Mundial de Comércio (OMC), considerada uma das maiores barreiras técnicas ao comércio e evitar a reavaliação dos resultados da avaliação da conformidade apresentados por importadores.
 
Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE), a reavaliação, a adaptação de produtos e a obtenção de certificados para os diferentes países, aumentam de 2% a 10% os custos de produção das empresas exportadoras.