Notícias

Asteroide 2001 FO32 se aproxima da Terra em 21 de março, mas sem risco de colisão

Publicado em 20/03/2021 00h00 Atualizado em 22/03/2021 11h09
banner-asteroide2001-site.png

Pesquisador do Observatório Nacional esclarece sobre o assunto

 

O 2001 FO32 é o maior asteroide previsto para passar próximo da Terra neste ano. Neste domingo, 21 de março, exatamente às 13h03min hora legal de Brasília, estará em máxima aproximação da Terra, a cerca de 2 milhões de quilômetros, ou 5,25 vezes a distância média da Terra à Lua. Embora tenha sido designado como um "asteroide potencialmente perigoso", não há ameaça de colisão com o nosso planeta nem nessa passagem e nem nas próximas, por vários séculos. A próxima vez que ele voltar a passar tão próximo da Terra será em 22 de março de 2052, quando a sua distância mínima do nosso planeta será de 2,8 milhões de quilômetros ou 7 vezes a distância média Terra-Lua. 

O 2001 FO32, também conhecido por 231937,  foi descoberto em 2001 e desde então tem sido rastreado, por isso se conhece bem a órbita desse corpo celeste, que é altamente inclinada e alongada, estando 39 graus inclinada em relação ao plano de órbita da Terra em torno do Sol. Ele completa sua órbita a cada 810 dias. 

Uma outra característica interessante dessa passagem é a velocidade que o asteroide vai atingir: 124000 km/h, que é uma velocidade maior do que aquela com que os asteroides normalmente assumem em sua máxima proximidade da Terra.

O asteroide está localizado no céu entre a constelação de Sagitário e a constelação do Escorpião, próximo à cauda do Escorpião. Somente quem está no hemisfério sul poderá vê-lo ou quem está no hemisfério norte, mas em baixas latitudes, ou seja, próximo do equador terrestre. 

O 2001 FO32 não será visível a olho nu. Chegará a atingir magnitude aparente entre 11 e 12 e será visível com telescópios de tamanhos moderados com aberturas de pelo menos 20 cm nas noites próximas à máxima aproximação.

Para esclarecer mais sobre o assunto convidamos o pesquisador Filipe Vieira de Melo Monteiro, físico, mestre e doutor em astronomia pelo Observatório Nacional e atualmente fazendo o pós-doutorado no ON. 

Em que área é a sua pesquisa?

A minha pesquisa se insere dentro da área de astrofísica do Sistema Solar, atuando principalmente nos seguintes temas: propriedades físicas de asteroides próximos da Terra, estrutura interna de asteroides, caracterização física e formação de sistemas de asteroides binários.

Qual o tamanho do asteroide 2001 FO32?

Primeiramente, é importante mencionar que o tamanho de um asteroide é um tanto complicado de se medir. No caso do asteroide 2001 FO32, o tamanho foi medido a partir do telescópio espacial da missão NEOWISE, que utiliza observações no infravermelho para determinação do albedo e diâmetro de asteroides. A utilização de detectores infravermelhos é mais segura para determinação de diâmetros, porque a emissão de calor de um asteroide está mais diretamente relacionada ao seu tamanho. Assim, o diâmetro efetivo do asteroide 2001 FO32 é de 550 m (com uma margem de erro de 100 m para mais ou para menos). Para termos uma comparação, a torre Eifel tem 324 m de altura. 

Há outros asteroides em aproximação com a Terra neste mês? neste ano? Há algum em risco de colisão com a Terra?

Atualmente, existem cerca de 25 mil asteroides próximos da Terra (NEOs, do inglês Near-Earth Objects) e muitos deles têm órbitas ao redor do Sol que cruzam a órbita do nosso planeta. Dessa forma, esses objetos eventualmente fazem encontros muito próximos com a Terra, atingindo uma menor distância entre os dois corpos. Neste mês, cerca de 15 asteroides fizeram um encontro próximo com o nosso planeta, contudo, nenhum deles é tão grande quanto o asteroide 2001 FO32.

Por ano tem sido identificado cerca de 1500 novos asteroides próximos da Terra e sua órbita logo após a descoberta é muito imprecisa, necessitando de observações para que, posteriormente, sua órbita seja traçada com melhor precisão. Assim, muitos asteroides acabam entrando numa lista de asteroides com chance de colisão, mas não porque irão de fato colidir com a Terra, mas porque sua órbita imprecisa causa uma grande incerteza na predição de sua trajetória. Muitos deles são retirados dessas lista de possíveis impactadores após o aprimoramento de suas órbitas. Até agora, não se tem nenhum objeto com grandes chances de colisão. O asteroide Apophis, que fez um encontro com a Terra em fevereiro deste ano, é um dos que estão no topo da lista de asteroides com maiores chances de colisão. Sua probabilidade de colidir com a Terra é de 0,0000045%, ou seja, uma chance de 1 em 222.000.

Quais são as Instituições no Brasil que estudam e acompanham os asteroides? 

Várias instituições no Brasil pesquisam asteroides, mas a única que tem um projeto dedicado ao monitoramento e caracterização física desses objetos é o Observatório Nacional (ON). O projeto IMPACTON (Iniciativa de monitoramento e pesquisa de asteroides nas cercanias da Terra do Observatório Nacional ) foi criado pelo grupo de Ciências planetárias com o intuito de inserir o Brasil nas pesquisas científicas relacionadas aos pequenos corpos do Sistema Solar. Para tanto, foi construído o Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica (OASI), localizado na cidade de Itacuruba, Pernambuco, o qual conta com um telescópio de 1 metro de diâmetro, o segundo maior instalado no Brasil.

Como são determinados os nomes dos asteroides?

A União Astronômica Internacional (IAU) agora regulamenta a nomenclatura de asteroides. Os nomes não são mais restritos a personagens mitológicos (o que antes era bastante usado), mas devem ser inofensivos e não relacionados com atividades políticas ou militares recentes. No entanto, os asteroides não recebem um nome até que tenham sido observados por tempo suficiente para que sua órbita seja determinada com um grau razoável de precisão. Isso pode levar vários anos, e até isso acontecer ele é identificado por um número provisório. Mas quando sua órbita já é bem conhecida, o asteroide recebe uma “designação permanente” (um número emitido em estrita sequência numérica) e o descobridor é convidado a sugerir um nome para aprovação por um comitê especial da União Astronômica Internacional.

Fonte: https://www.jpl.nasa.gov/news/asteroid-2001-fo32-will-safely-pass-by-earth-march-21

Crédito imagem: NASA / JPL-Caltech