Notícias

Mais uma etapa do cronograma de elaboração do Projeto do Hospital Escola é cumprida

Publicado em 12/07/2021 16h52
Badermann.jpeg

Com previsão de entrega para março de 2022, o novo projeto dos blocos 1 e 2 do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel) está sendo elaborado em um Grupo de Trabalho (GT) que inclui profissionais das áreas administrativa, de ensino e assistência. Na semana passada, o colegiado executivo esteve reunido com o arquiteto Jonas Badermann, da Badermann Arquitetos Associados, empresa responsável pela adequação do projeto. O encontro teve como objetivo entregar e discutir sobre as demandas que foram levantadas a partir da reunião do GT que ocorreu em maio.

O GT Plantas, como é chamado, é constituído por duas equipes, a de Validação Interna dos Projetos do Novo HE e a Equipe de Fiscalização do Contrato da Elaboração dos Projetos. “Nosso primeiro levantamento de dados foi muito rico. Recebemos apontamentos importantes, críticas, sugestões e indicação de necessidades da assistência e de todos os cursos que possuem atuação no Hospital Escola. Esse levantamento foi entregue à empresa e terá sua viabilidade analisada criteriosamente. Estamos chegando ao fim da primeira etapa onde teremos o Programa de Necessidades concluído”, destaca a superintendente do HE, Samanta Madruga. 

LINHA DO TEMPO – Desde o início em 2011, o projeto do novo Hospital Escola já passou por inúmeras alterações, desde o seu conceito assistencial, porte, assim como número de leitos. Atualmente, o terceiro bloco do prédio próprio já está pronto e em uso desde o segundo semestre de 2020, abrigando áreas administrativas, Unidade de Hematologia e Oncologia, Unidade de Atenção Domiciliar e Centro de Pesquisas Clínicas.

Atualmente o HE está com suas unidades descentralizadas, numa área total de aproximadamente 19 mil metros quadrados, onde atuam mais de 2,6 mil pessoas, entre colaboradores de diversos vínculos, residentes e alunos de graduação. São ofertados hoje 175 leitos de internação, incluindo 18 exclusivos em ala Covid. São feitos aproximadamente 32 mil atendimentos ambulatoriais ao mês e uma média de 385 internações de pacientes por mês.

A expectativa pro futuro projeto é ampliar a área total de estrutura própria para 30 mil metros quadrados, ampliando o número de leitos para até 250, respeitando o dimensionamento de pessoal contratado entre UFPel e EBSERH, considerando a viabilidade de execução da obra e a sustentabilidade da Instituição, que hoje possui um contrato mensal de 3,1 milhões com a Secretaria Municipal de Saúde. A nova estrutura prevê, entre tantas melhorias, o aumento de três para seis salas cirúrgicas e de seis para 20 leitos de UTI Geral, além de uma melhor organização dos espaços de ensino e novas estruturas como: centro de simulação, auditórios, salas de aula, farmácia escola, centro de reabilitação, ressonância magnética, densitometria, anatomia patológica, dentre outros.

PREMISSAS – Dentre as questões fundamentais na reformulação do projeto estão: hospital de ensino, porte médio, investimento no perfil vocacional, inserção da formação nos serviços assistenciais, norteado pelo Dimensionamento de Pessoal aprovado e análise de viabilidade de novos serviços (com critérios de infraestrutura, tecnologia, administrativo e financeiro). “O que estamos nos propondo a fazer, enquanto gestão UFPel e HE é realizar o sonho de termos nosso Hospital Escola em sede própria, de forma ética, responsável, transparente, sustentável e humanizada”, reafirma Samanta.

Os recursos para o desenvolvimento do projeto vêm do próprio Hospital Escola e do programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF). Já para a execução da obra a previsão é que sejam utilizados recursos do hospital, da Universidade Federal de Pelotas, da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), do Ministério da Educação (MEC) e de emendas parlamentares.