Notícias

CORONAVÍRUS

Hospital Universitário Antônio Pedro inicia vacinação de seus funcionários contra a Covid-19

Primeira pessoa vacinada é enfermeira do hospital há 38 anos
Publicado em 20/01/2021 11h10
Vacinação Covid
Wilma Medeiros, enfermeira no HUAP há 38 anos, foi a primeira pessoa vacinada no hospital
Vacinação Covid 1
Vacinação foi iniciada nesta quarta-feira (20)

O Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP) iniciou, nesta quarta-feira (20), a vacinação de seus funcionários contra a Covid-19. A unidade irá vacinar apenas os profissionais que estão em atuação no hospital, não sendo aberto para o público geral. O cronograma do HUAP seguirá as orientações do Ministério e das Secretarias de Saúde. Neste primeiro momento, apenas profissionais de saúde de alguns setores que fazem atendimento direto ao coronavírus serão vacinados, ou seja, os de linha de frente, sendo seguidos pelos de retaguarda.

A previsão é de que o programa seja aplicado em fases, dividindo os trabalhadores conforme orientação das autoridades. Serão 600 beneficiados na primeira fase, que é dividida em duas etapas (dose 1 e dose 2). A dose 1 está sendo aplicada nos dias 20, 21, 22 e 25 de janeiro (150 a cada dia). Os profissionais a serem vacinados já foram avisados e devem apresentar o crachá e um documento com foto. Eles receberão a dose 2 já no próximo mês, seguindo as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ainda não há data definida para as fases seguintes, dependendo da liberação de mais doses de vacina pelo Governo Federal.

A primeira pessoa vacinada pelo Hospital Universitário Antônio Pedro foi definida pela direção a dedo para representar toda a equipe da unidade. É Wilma Medeiros, enfermeira do Serviço de Doenças Infecto Parasitárias (DIP) do HUAP há 38 anos. A profissional tem 61 anos e optou por não se afastar durante a pandemia, mesmo podendo por conta da idade. Para a enfermeira, isso faz parte da história e ela sempre sentiu que precisava estar presente no enfrentamento. Wilma falou da emoção de ter sido a escolhida e lembrou a importância dos colegas de trabalho.

- Fiquei muito emocionada quando me ligaram, é um momento importante para nós que vivemos todos os dias com doenças e descobertas de vacinas e remédio. Mas eu não estou aqui sozinha, estou com uma equipe toda, que corajosamente cuida dos pacientes todos os dias. Queria agradecer muito a direção, as nossas chefias que nos apoiaram e a cada um que esteve presente comigo nestes atendimentos. E agradecer também a prefeitura de Niterói, que lutou e possibilitou que a vacina chegasse para a cidade e para as pessoas -, completou.

A vacina que está sendo aplicada é a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês em parceria com o Instituto Butantan. Seu uso emergencial foi aprovado por unanimidade no último domingo (17), pela Anvisa. A eficácia global calculada da CoronaVac é de 50,38%. Esse índice aponta a capacidade de o imunizante evitar casos sintomáticos de coronavírus. Para prevenção de casos leves de Covid-19, com sintomas, mas sem necessidade de internação, a eficácia é de 78%. Por fim, a eficácia para evitar casos graves, moderados, internações e mortes pela doença é de 100%.

- Vacinação é vida. Sou completamente favorável a ela. Quando comecei a trabalhar, todas aquelas doenças infantis estavam no auge. Hoje, elas praticamente desapareceram, por causa da vacina. E conforme outras vão aparecendo, nós vamos combatendo. É muito importante. A vacina para Covid-19 surgiu rápido, e isso é um privilégio muito grande. Hoje, estou representando toda a equipe do hospital. Mas quero que chegue logo para os outros funcionários e para a população toda. Que todos sejam vacinados rápido! –, finalizou a enfermeira Wilma.

O Superintendente do HUAP, Tarcisio Rivello, reforçou o esforço para que, hoje, seja possível vacinar os funcionários: “É meritório o esforço conjunto da governança do HUAP e do reitor da UFF na negociação das vacinas para o Antônio Pedro. Vacinação é o único preventivo da doença viral”. As palavras são compartilhadas pelo reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega: "O início da vacinação é uma conquista histórica da ciência brasileira e uma grande vitória do SUS. Começamos a imunizar os profissionais de saúde da linha de frente do hospital e pretendemos ampliar com a maior agilidade possível”.

Unidade de Comunicação Social (UCS)