Notícias

Inovação Em Saúde

Aplicativo orienta médicos e outros profissionais da saúde na transfusão segura

EducaSangue foi criado no Complexo Hospitalar da Rede Ebserh do Ceará e está disponível para ser baixado
Publicado em 16/10/2020 10h59
16102020 app ceará.jpg

O EducaSangue traz diversas calculadoras para auxiliar o profissional da saúde nos seus diagnósticos e testa os conhecimentos

Fortaleza (CE) – No Brasil, mais de 1 milhão e 600 mil transfusões de hemocomponentes (concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas, plasma fresco congelado e crioprecipitado) foram realizadas no ano de 2018, segundo os dados do Boletim de Produção Hemoterápica (Hemoprod), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Mas esse procedimento, que salva tantas vidas, ainda gera muitas dúvidas quanto ao momento certo e à conduta adequada de transfusão. Pensando nisso, o Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Ceará vinculado à Rede Ebserh (CH-UFC/Ebserh) criou um aplicativo gratuito para celular que auxilia médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde: o EducaSangue. A produção contou com a parceria do Hemocentro do Ceará (Hemoce).

Foi no dia a dia, que Denise Brunetta, chefe das unidades transfusionais do CH-UFC/Ebserh – composto pelos dois maiores hospitais universitários do Ceará, o Hospital Universitário Walter Cantídio e a Maternidade-Escola Assis Chateaubriand –, e a diretora do Hemoce, Luciana Carlos, perceberam a necessidade de melhorar o conhecimento em Medicina Transfusional dos profissionais de saúde. “Precisávamos estabelecer uma forma diferente de nos comunicar com médicos, enfermeiros e outros profissionais envolvidos na transfusão. Estudar é um processo contínuo e divertido quando todos estão voltados para a construção e uso do conhecimento em transfusão em favor do paciente”, explica.

No app, disponível gratuitamente no Google Play, há dicas e recomendações para transfusão segura, com passo a passo para diagnóstico e conduta correta. O EducaSangue traz diversas calculadoras para auxiliar o profissional da saúde nos seus diagnósticos e testa os conhecimentos, por meio da gamificação, em que o usuário do app ganha pontos e selos ao interagir nos quiz.

Com dicas divertidas, vídeos e postagens educativas em suas páginas das redes sociais, o EducaSangue já saiu do Ceará e alcançou o mundo. Agora, com o app, a iniciativa ganha mais uma ferramenta com a integração do Programa PreservaSangue, voltado para a promoção do Patient Blood Management – PBM. As calculadoras do app, por exemplo, auxiliam na prescrição, com o intuito de reduzir o risco de sobrecarga circulatória associada à transfusão, principal causa de óbito relacionada à transfusão no mundo. Elas ajudam a calcular dose de plasma e crioprecipitado, auxiliam no diagnóstico de refratariedade à transfusão de plaquetas e no manejo da anticoagulação, além de possuir outras ferramentas para o dia a dia dos profissionais de saúde.

“O nosso objetivo é qualificar a transfusão através da disseminação do conhecimento em Medicina Transfusional de forma despretensiosa e lúdica. É preciso disseminar conhecimento para melhorar a evolução e diminuir risco para os pacientes”, complementa Denise. A equipe do EducaSangue pretende estar em constante diálogo com os profissionais de saúde que trabalham nas várias etapas do procedimento de transfusão, ajudando na tomada de decisão de quando transfundir (ou não transfundir).

A novidade já tem a aprovação de muitos profissionais da assistência e professores. É o caso do chefe da Unidade de Residência Médica do Complexo Hospitalar, o médico Rainardo Puster. Ele ressalta que o uso de componentes e derivados do sangue nunca pode ser considerado banal e isento de riscos, especialmente quando não há indicação criteriosa ou prescrição adequada. “Exemplos do dia a dia da terapia transfusional são esclarecidos pelo EducaSangue de forma clara, criativa e associada a uma dose pertinente de humor, se mostrando um aliado em otimizar o efeito terapêutico, evitar dano ao paciente e desperdício, afinal, sangue é um elemento escasso e caro no seu processamento”, diz. Rainardo destaca ainda que, ficando disponível no bolso, o app traz orientação, diversão e desafio ao aprendizado. “É, portanto, indispensável para todos os estudantes e profissionais de saúde que podem se deparar com uma indicação transfusional”, conlcui.

Serviço:

App: EducaSangue (disponível gratuitamente no Google Play para dispositivos android).

Facebook: @educasangue

Instagram: @EducaSangue

Sobre a Rede Ebserh 

O CH-UFC faz parte da Rede Ebserh desde novembro de 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência. 

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, a os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país. 

Com informações do CH-UFC/Ebserh e Hemoce