Obter o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia. (CIVP) Você também pode conhecer este serviço como: Certificado Internacional de Vacinação
Solicitar
Última Modificação: 15/08/2019
  • O que é?

    O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é o documento que comprova a vacinação contra doenças e é emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
    O CIVP é exigido por alguns países como condição para a entrada de um viajante no seu território.
    Para saber sobre exigências e recomendações de saúde no seu país de destino, acesse a página do CIVP no Portal da Anvisa e escolha o país de destino.
    Este documento tem validade vitalícia. Portanto, se você já possui um certificado, não é necessário solicitar um novo.


    ATENÇÃO! Os e-mails automáticos não devem ser respondidos.

  • Quem pode utilizar este serviço?

    Brasileiros e estrangeiros vacinados no Brasil e que irão viajar para fora do país.

  • Etapas para a realização deste serviço
    1. Tomar a vacina

      Tome a dose integral da vacina gratuitamente em um posto do SUS ou em uma clínica privada.
      Guarde o certificado de vacinação. Ele é o seu comprovante para poder pedir o Certificado Internacional.


      Acesse aqui: Perguntas e respostas sobre a vacina e o Certificado Internacional de Vacinação.

      Documentação

      Documentação em comum para todos os casos
      • Comprovante ou carteira de vacinação emitido pelo local responsável pela vacinação.

      Canais de prestação

        Presencial : 

      O usuário pode obter (receber) a vacina gratuitamente em uma unidade de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) ou deve procurar algum dos serviços de vacinação privados para se vacinar.

      Tempo de duração da etapa

      Não estimado ainda
    2. Cadastrar-se no Portal de Serviços

      Canais de prestação

        Web : 

      Tempo de duração da etapa

      Não estimado ainda
    3. Solicitar certificado

      Documentação

      Documentação em comum para todos os casos
      • Número do CPF

      • Documento de identidade (foto ou arquivo digitalizado)

      • Comprovante nacional de vacinação (foto ou arquivo digitalizado)



      Para requisição presencial em uma unidade emissora
      • Carteira nacional de vacinação ou comprovante de vacinação preenchido corretamente com a data de aplicação da vacina, nome do fabricante da vacina e lote da vacina, assinatura do profissional que realizou a aplicação e identificação da unidade de saúde onde o usuário foi vacinado.

      • Documento de identificação original com foto: Carteira de Identidade (RG), Passaporte ou Carteira de Motorista (CNH) válida, entre outros.

      • Em caso de extravio ou preenchimento incompleto do comprovante nacional de vacinação, o interessado deverá dirigir-se ao serviço de saúde onde tomou a vacina e solicitar a segunda via do documento. Alguns municípios utilizam o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI). Nesse caso, o cidadão pode obter um novo cartão atualizado com todo o histórico de vacinação.

      • A apresentação da certidão de nascimento é aceita para menores de 18 anos.
        Crianças a partir de nove meses já precisam da vacina e do certificado para viajar para países que exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). Pais ou responsáveis legais de menores de 18 anos podem assinar o CIVP pelo menor, mas recomendamos que seja a mesma pessoa que assinou o passaporte dele. Caso o menor já assine, ele deverá comparecer à unidade emissora para assinar o certificado.

      • A população indígena que não possui documentação está dispensada da apresentação de documento de identidade.

      Canais de prestação

        Web : 
      Procedimentos de atendimento quando o sistema informatizado se encontrar indisponível

      Em caso de indisponibilidade do sistema, favor seguir os mesmos passos para requisição presencial em uma unidade emissora.

      Para requisição em uma unidade emissora

        Presencial : 

      Atendimento presencial nas unidades emissoras do certificado internacional de vacinação.

      1. Faça seu cadastro
      2. Confira as unidades emissoras e opções da atendimento e agendamento de horário para atendimento na unidade emissora. Se disponível, clique no botão “Solicitar agendamento presencial”
      3. Dirija-se a unidade emissora com seus documentos.

      Tempo de duração da etapa

      Não estimado ainda
    4. Receber certificado

      A primeira via do certificado pode ser emitida e impressa em casa, pelo Portal de Serviços. Se você precisar da segunda via, poderá acessar o Portal de Serviços e imprimir novamente. Você também receberá o arquivo no e-mail cadastrado no Portal de Serviços.

      Canais de prestação

        E-mail : 

      informado no cadastro.

        Web : 

      Tempo de duração da etapa

      Até 10 dias úteis
  • Outras Informações
    Quanto tempo leva?
    Até 10 dias úteis

    Informações adicionais ao tempo estimado

    O prazo de análise da Anvisa é de até 10 (Dez) dias úteis.


    Este serviço é gratuito para o cidadão.

    Para mais informações ou dúvidas sobre este serviço, entre em contato

    Coordenação de Saúde do Viajante em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados – COSVI/GIMTV/ANVISA
    Fale com a Anvisa: 0800 642 9782
    Email: ouvidoria@anvisa.gov.br


    Este é um serviço do Agência Nacional de Vigilância Sanitária . Em caso de dúvidas, reclamações ou sugestões favor contactá-lo.

    Legislação
    • RDC nº 21 de 31/03/2008, inciso III do Art. 1º do Anexo II


    Tratamento a ser dispensado ao usuário no atendimento

    O usuário deverá receber, conforme os princípios expressos na lei nº 13.460/17, um atendimento pautado nas seguintes diretrizes:
    · Urbanidade;
    · Respeito;
    · Acessibilidade;
    · Cortesia;
    · Presunção da boa-fé do usuário;
    · Igualdade;
    · Eficiência;
    · Segurança; e
    · Ética.


    Informações sobre as condições de acessibilidade, sinalização, limpeza e conforto dos locais de atendimento

    O usuário do serviço público, conforme estabelecido pela lei nº13.460/17, tem direito a atendimento presencial, quando necessário, em instalações salubres, seguras, sinalizadas, acessíveis e adequadas ao serviço e ao atendimento.


    Informação sobre quem tem direito a tratamento prioritário

    Têm direito a atendimento prioritário as pessoas com deficiência, os idosos com idade igual ou superior a 60 anos, as gestantes, as lactantes, as pessoas com crianças de colo e os obesos, conforme estabelecido pela lei 10.048, de 8 de novembro de 2000​.


Esta informação foi útil para você?