Notícias

Covid-19

Viana faz vacinação em massa para projeto de pesquisa coordenado pelo Hucam-Ufes

Pesquisadores testam efetividade de meia dose da vacina da AstraZeneca/Fiocruz em parte da população do município da Grande Vitória
Publicado em 13/06/2021 13h51 Atualizado em 22/06/2021 10h01
Viana Vacinada
Prefeito de Viana, Wanderson Bueno, é o primeiro voluntário a receber a dose para o projeto Viana Vacinada
20210613092244_IMG_8075-1.jfif
Voluntários recebem material informativo sobre a pesquisa
20210613085730_IMG_8000-1.jfif
Autoridades presentes na solenidade que marcou início da vacinação
20210613092138_IMG_8066-1.jfif
Alunos da Ufes orientam voluntários no local de vacinação
20210613075714_IMG_7563.jfif
A coordenadora científica da pesquisa, professora Valéria Valim
20210613083242_IMG_7712-1.jfif
O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande
mill governador prefeito opas secretario.png
Bastidores da solenidade
mill valeria rita paulo.png
Na sequência, José Geraldo Mill, Valéria Valim, a superintendente do Hucam, professora Rita Checon e o reitor da Ufes, Paulo Vargas
erinaldo dias cabral.png
O voluntário Erinaldo Dias Cabral recebe a meia dose

Foi dada a largada. Começou na manhã deste domingo (13/06), a vacinação contra Covid-19 em massa de cidadãos de Viana, na Região Metropolitana do Espírito Santo, para a o projeto de pesquisa Viana Vacinada. O estudo tem coordenação científica do Hospital Universitário Cassiano Moraes (Hucam-Ufes), da Universidade Federal do Espírito Santo, integrante da Rede Ebserh. Os pesquisadores querem certificar se ao aplicar metade da dose convencional da vacina Covishield, da AstraZeneca/Fiocruz, ela conseguirá reduzir o número de casos e mortes provocadas pela Covid-19 da mesma forma que a prescrição normal.

Uma pesquisa anterior, realizada no Reino Unido, dá indícios de que a aplicação da meia dose é suficiente.

A Prefeitura de Viana preparou uma grande mobilização para vacinar moradores entre 18 e 49 anos de idade no domingo, entre as 8h e 17h. Ao fim do dia, cerca de 14 mil pessoas receberam o imunizante.

O prefeito de Viana, Wanderson Bueno, anunciou que um novo agendamento será aberto a partir desta segunda-feira, 14. Aqueles que, por algum motivo, não conseguiram se vacinar neste domingo, poderão se cadastrar pela plataforma on-line vianavacinada.saude.es.gov.br. O sistema estará disponível para agendamento até o próximo sábado, 19, com vagas na Central É Pra Já, no bairro Marcílio de Noronha.

Cerca de 600 voluntários serão monitorados com exames de sangue periódicos e, caso a resposta imune dos cidadãos estudados não seja a esperada, uma dose de reforço está garantida.

Orgulho

Antes do início, uma solenidade marcou o início da campanha em um prédio público no bairro Marcílio de Noronha. O reitor da Ufes, Paulo Vargas, demonstrou o orgulho da universidade em participar do trabalho:

"Fazemos parte de um projeto importantíssimo para a Ciência, na busca de soluções para o combate à pandemia. A universidade se sente orgulhosa de fazer parte desse trabalho. O resultado esperado vai ser muito importante para ampliar a vacinação brasileira no Brasil e no mundo".

A superintendente do Hucam-Ufes, professora Rita Checon, destaca o envolvimento dos estudantes do Centro de Ciências da Saúde da universidade em apoio ao Viana Vacinada.

"É uma honra para o Hucam participar desse momento que é único na história do esforço que estamos fazendo no combate a esta pandemia. Não houve dúvida, em nenhum momento, de que o hospital seria o local indicado para ser proponentes dessa pesquisa. Vejo nossos alunos envolvidos, sentindo-se felizes e honrados em participar. Vemos a missão do Hucam sendo exercida aos olhos de todos. É um momento singular."

Para o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, a expectativa pelo resultado do projeto é positiva: 

"Dia histórico, de muita esperança para Viana, de poder chegar à imunidade coletiva. Uma expectativa muito positiva, de algo que pode trazer benefício para o Espírito Santo, para o país e para o mundo. É um dia que vai ficar marcado na Ciência".

Mobilização

O prefeito de Viana foi simbolicamente o primeiro voluntário a receber a meia dose. Tem 33 anos e não tem comorbidades. Ele destacou a mobilização da prefeitura para realizar a vacinação.

"São 168 salas de vacina abertas. Mais de mil colaboradores estão conosco para receber até 30 mil pessoas. Remontamos o dia de eleição em Viana para que a gente pudesse reorganizar todo esse processo. Acredito muito no estudo e em seu resultado" , disse Bueno, que aproveitou a logística dos locais de votação da cidade, usada a cada dois anos, para permitir a execução da vacinação.

Socorro Gross Galiano, representante da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) no Brasil, também prestigiou o início da campanha de vacinação:

"O Espírito Santo tem sido parceiro em muitas coisas, mais especialmente em inovação. Para inovar, é preciso ter sonhos e talento".

A solenidade também contou com o gestor do Ministério da Saúde no estado, Bartolomeu Martins Lima e o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes.

“Hoje é um dia de esperança e também um dia inédito na história do Espírito Santo. Estudos ousados como esse apontam um novo caminho para a imunização da população, hoje sedenta para exercer seu direito de ser vacinada. A qualidade e profundidade desse estudo demonstra o que o Sistema Único de Saúde é capaz de produzir em favor da população”, declarou Fernandes.

O secretário fez um agradecimento a todos os profissionais de saúde que fazem parte desta iniciativa. “Destaco a liderança da professora Valéria Valim, que tem destaque no SUS e muito nos orgulha. Agradeço a missão da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde) pelo apoio e a todos os servidores da Saúde. A população de Viana escreve seu nome na história para o bem de todos os brasileiros”, complementou o secretário da Saúde.

A coordenadora da pesquisa e gerente de Atenção à Saúde do Hucam, Valéria Valim, declarou sobre a importância da evidência científica para a orientação de políticas públicas.

"Existe toda uma metodologia que deve ser seguida quando se desenvolve um projeto de pesquisa. Isso é para subsidiar as políticas publicas, porque a chance de acertar quando as políticas públicas são guiadas por evidências científicas, é maior".

O projeto foi aprovado no Comitê de Ética do Hucam e pela Comissão Nacional de Ensino e Pesquisa (Conep). A pesquisa está sendo executada por meio de uma parceria entre o Ministério da Saúde (MS), Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), a Fiocruz, o Hucam-Ufes, Secretaria da Saúde do Espírito Santo (Sesa), por meio do Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi), e Prefeitura Municipal de Viana. 

Leia mais: Estudo coordenado pelo Hucam poderá melhorar oferta de vacina contra Covid-19

Assista: Veja a cobertura do evento em matéria produzida pela TV Ufes.

Veja também: Governo do ES produz vídeo sobre o evento

Esperança

Em uma das salas de vacinação, no prédio do É Pra Já, local da prefeitura onde nos dias de semana se concentram opções de serviços públicos, o morador de Bairro Industrial, Erinaldo Dias Cabral, estava esperançoso do bom resultado da pesquisa.

"Espero que a pandemia acabe logo, e a gente possa ter de volta a vida normal. O sentimento é de saber que estou contribuindo para a pesquisa. A expectativa é que a pesquisa dê certo. Quanto mais rápido acabar, melhor", disse o conferente profissional, de 43 anos.

No mesmo local, em outras salas, alunos de cursos de graduação do Centro de Ciências da Saúde davam orientações aos voluntários, para quem eram entregues folhetos informativos. Antes da vacina, os voluntários tinham amostras de sangue recolhidas para medir a reposta imune, em comparação com outros volumes a serem analisados ao longo de 12 meses. No dia anterior, outros voluntários do estudo já tiveram sangue recolhido para a pesquisa.

Com informações do Governo do ES e da Superintendência de Comunicação da Ufes

Imagens: Helio Filho (Governo do ES) e Duilo Victor (Hucam-Ufes)

Educação e Pesquisa