Notícias

Resposta vacinal

Pesquisa científica monitora a imunidade de profissionais vacinados contra a Covid-19

Estudo é realizado por meio da parceria entre complexo hospitalar da Rede Ebserh/MEC de Fortaleza, Fiocruz e outras instituições
Publicado em 31/03/2021 16h05
31032021 monitorameto covid ch-ufc.jpeg

Pesquisa já realizou mais de 500 coletas desde o dia 22 de março e segue até novembro de 2021

Fortaleza (CE) – Acompanhar o grau de imunidade dos profissionais que já foram vacinados contribuindo para o estudo epidemiológico nacional. Esse é o objetivo de um estudo científico realizado por meio da parceria entre o Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh/MEC (CH-UFC), composto pelo Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e pela Maternidade-Escola Assis Chateaubriand (MEAC), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e outras instituições. Com o título "Inquérito soroepidemiológico para SARS-Cov-2 e monitoramento da resposta pós-vacinal em profissionais de saúde do Estado do Ceará", a pesquisa já realizou mais de 500 coletas desde o dia 22 de março. A investigação segue até novembro de 2021. O Complexo Hospitalar da UFC faz parte da Rede Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação (MEC).

O interesse dos colaboradores tem sido grande e não há um perfil específico, contemplando profissionais das áreas administrativa e assistencial. “A procura foi maior do que esperávamos. Notamos que as pessoas vêm com satisfação e algumas vezes até emocionadas. Todos com muita vontade de participar da pesquisa e, assim, contribuir com a ciência”, explica Erika Gondim, chefe da Unidade de Pesquisa Clínica (UPC) do Complexo da Rede Ebserh/MEC. Ela informa que o papel dos hospitais universitários é realizar coletas, centrifugar, separar amostras e enviar para análise da Fiocruz, onde os resultados são gerados e informados. Vale lembrar que todos os recursos são próprios.  

Para participar, o colaborador precisava ter tomado as duas doses da vacina contra Covid-19, estar no intervalo entre 30 dias e 45 dias da administração da segunda dose, preencher dois formulários online – um de inscrição e outro de agendamento do atendimento - para, só então, comparecer presencialmente à UPC para a coleta, que será repetida com três, seis e nove meses, totalizando quatro exames. 

Uma das voluntárias, Naiara Moraes de Carvalho, assistente de Pesquisa Clínica, conta que logo que tomou conhecimento da pesquisa se interessou. “Quero saber da eficácia da vacina que tomei e acompanhar a evolução da minha imunidade. Estou me sentindo privilegiada em fazer parte de um estudo inovador, pois muitas pessoas queriam ter essa oportunidade”, comemorou. Já Virgínia Oliveira, médica endocrinologista do HUWC, conta “o que me motivou a participar da pesquisa foi a ideia de contribuir para maior entendimento da resposta imune após a vacina. Hoje estou cheia de esperança e com muito orgulho por ajudar nas pesquisas do nosso país”. 

O gerente de Ensino e Pesquisa, Renan Montenegro Junior, ressalta que a inclusão da Unidade de Pesquisa Clínica do CH-UFC/Ebserh/MEC como centro participante é de importância não somente para a visibilidade do Complexo, mas também para oportunizar aos colaboradores conhecer e acompanhar, ao longo dos meses de realização da pesquisa, a resposta vacinal. 

Sobre a Rede Ebserh

O CH-UFC faz parte da Rede Ebserh/MEC desde novembro de 2013. Estatal vinculada ao Ministério da educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Vinculados a universidades federais, essas unidades hospitalares possuem características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Com informações do CH-UFC/Ebserh/MEC