Galeria de Imagens

Apoio à formação profissional

Ebserh/MEC investe mais de R$ 470 mil em espaços para ensino no Hospital das Clínicas do Recife

São salas de aula, de estudo e de reuniões, auditórios, anfiteatros e espaços de repouso para a comunidade acadêmica
Publicado em 08/06/2021 16h35
08062021 espaços de ensino hc-ufpe 1.jpeg
08062021 espaços de ensino hc-ufpe 2.jpg
08062021 espaços de ensino hc-ufpe 3.jpeg
08062021 espaços de ensino hc-ufpe 4.jpeg

Recife (PE) – A Rede Ebserh/MEC destinou mais de R$ 470 mil para uma série de melhorias nos espaços de ensino do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE/Ebserh/MEC). Os recursos estão sendo investidos em salas de aula, de estudo e de reuniões, auditórios e anfiteatros e espaços de repouso para a comunidade acadêmica que utiliza o hospital como campo de prática para a formação e especialização profissional na área da saúde. Os investimentos são do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), gerido pela Ebserh, além de recursos da própria unidade hospitalar.

Um desses espaços foi disponibilizado no final de maio em evento restrito devido à pandemia. Trata-se de uma sala de aula com capacidade para aproximadamente 45 pessoas, que recebeu mais de R$ 15 mil em investimentos. E nesta semana, foi liberado o novo Complexo Educacional do HC, requalificado e modernizado, com destaques para as melhorias nos Anfiteatros 2, 3 e 4 (cada um deles com capacidade para cerca de 80 pessoas), banheiros, sala de apoio pedagógico, sala de estudo, sala de apoio administrativo e sala de convivência. Nesse espaço foi investido mais de R$ 457 mil.

O superintendente do HC-UFPE/Ebserh/MEC, Luiz Alberto Mattos, destacou a importância do apoio ao ensino em um hospital-escola. “Transformamos os locais em espaços para a valorização da educação, que é a nossa razão de ser como instituição que alia ensino e saúde. Foi aqui onde aprendemos e agora deixamos esse legado às novas gerações de alunos”, afirmou.

Entre as melhorias, foram realizadas a recuperação de todo o piso, pintura das paredes, tetos e forros, troca de toda a instalação elétrica com automatização do sistema, troca de todo o sistema de climatização, adequação dos banheiros com cabine PNE (Portadores de Necessidades Especiais), requalificação do acesso externo (pelo estacionamento), substituição de luminárias, renovação do sistema educacional multimídia (projetores, sistema de som, telas e quadros) e novas carteiras.

Modernizados, esses locais se juntam ao padrão do Anfiteatro 1 (Professor José Remígio Neto), reformado há um ano e oito meses, e que agora recebeu novos equipamentos de ar condicionado e do sistema multimídia. O local tem capacidade para cerca de 120 pessoas. Toda a estrutura do Complexo Educacional é utilizada para aulas e eventos.

A nova sala de aula recebeu o nome de Hely José Farias Neto, residente de Clínica Médica que sofreu morte súbita por arritmia cardíaca, aos 27 anos, em dezembro de 2014. Já os Anfiteatros 2, 3 e 4 receberam os nomes de Enfermeira Maria Ferreira da Silva, Professor Aureliano Quintino dos Santos e Dra. Gildenia Bezerra Coutinho, respectivamente, em homenagem a pessoas que contribuíram com o hospital-escola ao longo de sua história e que tiveram seus nomes escolhidos pela comunidade hospitalar.

Sobre a Rede Ebserh

O HC-UFPE faz parte da Rede Ebserh desde dezembro de 2013. Estatal vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Vinculados a universidades federais, essas unidades hospitalares possuem características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh/MEC atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Com informações do HC-UFPE/Ebserh/MEC