Despachar Arma de Fogo

Despachar Arma de Fogo
Iniciar
Avaliação: Sem Avaliação
Avaliação

O número antes das estrelas é a nota dada pelos usuários que utilizaram o serviço e vai de 1 a 5.
Depois das estrelas, entre parênteses, é a quantidade de usuários que avaliaram o serviço.
Os números são atualizados diariamente.

Iniciar
  • O que é?

    A Polícia Federal tem como responsabilidade controlar e autorizar o embarque de passageiro armado e o despacho de arma de fogo e munições em aeronaves civis. Com o advento da Resolução nº 461/2018, de 25/01/18, da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), em vigor desde 28 de julho de 2018,  esse controle passou a ser efetuado exclusivamente de forma informatizada por parte da Polícia Federal devendo assim todos os passageiros que desejarem despachar arma de fogo e munições em aeronaves civis preencher previamente as respectivas guias a seguir disponibilizadas.

    O despacho de arma de fogo é a regra geral para todos os passageiros que desejam transportar suas armas em aeronaves civis.

     

     

  • Quem pode utilizar este serviço?

    Cidadãos autorizados a transitar com armas de fogo.

  • Etapas para a realização deste serviço
    1. Preencher a guia

      Preencher a Guia de Despacho de Arma de Fogo (GDAF) na internet e imprimir todas as vias geradas.

      A Polícia Federal não disponibiliza meios para o preenchimento da GDAF no aeroporto.

      Documentação

      Documentação em comum para todos os casos
      • Dados pessoais/funcionais. O nome deve ser preenchido de forma idêntica ao utilizado para efetuar a compra do bilhete aéreo

        Dados do voo (empresa aérea que efetivamente irá operar o voo, nº voo, conexões, aeroportos de origem/destino e localizador da reserva);

        Dados da arma (nº SINARM/SIGMA, tipo, marca, calibre, nº de série)

        Número da guia de trânsito ou porte de arma

      Canais de prestação

        Web : 

      Tempo de duração da etapa

      Até 5 minuto(s)
    2. Validar a guia

      Após o preenchimento e a impressão da Guia de Despacho de Arma de Fogo (GDAF)  o passageiro deverá validá-la junto a unidade da Polícia Federal responsável pelo aeroporto de embarque.

      Nessa etapa o passageiro deverá apresentar toda a documentação relativa a arma a ser despachada, devendo esta ainda estar desmuniciada/descarregada e devidamente acondicionada para o transporte.

      Canais de prestação

        Presencial : 

      Etapa realizada na sala da Polícia Federal no aeroporto, caso existente, ou na Superintendência Regional ou Delegacia da Polícia Federal responsável pelo aeroporto de embarque.

      Tempo estimado de espera Até 5 minuto(s)

      Tempo de duração da etapa

      Até 5 minuto(s)
    3. Despachar a arma de fogo

      Após a validação da GDAF o passageiro deverá apresentá-la ao funcionário da empresa aérea no balcão de check-in juntamente com seu armamento, devidamente acondicionado e lacrado, para ser despachado.

      Canais de prestação

        Presencial : 

      O despacho da arma de fogo, após a validação da GDAF pela Polícia Federal, ocorre no balcão de check-in da empresa aérea responsável pelo voo.

      Tempo estimado de espera Até 15 minuto(s)

      Tempo de duração da etapa

      Em média 15 minuto(s)
  • Outras Informações
    Quanto tempo leva?
    Atendimento imediato

    Este serviço é gratuito para o cidadão.

    Para mais informações ou dúvidas sobre este serviço, entre em contato
    • Horários e peculiaridades de atendimento nas unidades PF:

    No caso de dúvidas relativas à particularidades locais das unidades de atendimento, tais como: dias e horário de funcionamento da unidade, necessidade ou não de agendamento prévio, dentre outras, consulte uma unidade da Polícia Federal.

     

    Unidade da Polícia Federal responsável pelo aeroporto de embarque.


    Este é um serviço do(a) Polícia Federal . Em caso de dúvidas, reclamações ou sugestões favor contactá-lo.

    Legislação
    • Decreto 7.168/2010

      Resolução nº 461/2018 da Agência Nacional de Aviação Civil 


    Tratamento a ser dispensado ao usuário no atendimento

    O usuário deverá receber, conforme os princípios expressos na lei nº 13.460/17, um atendimento pautado nas seguintes diretrizes:

    • Urbanidade;
    • Respeito;
    • Acessibilidade;
    • Cortesia;
    • Presunção da boa-fé do usuário;
    • Igualdade;
    • Eficiência;
    • Segurança; e
    • Ética

    Informações sobre as condições de acessibilidade, sinalização, limpeza e conforto dos locais de atendimento

    O usuário do serviço público, conforme estabelecido pela lei nº13.460/17, tem direito a atendimento presencial, quando necessário, em instalações salubres, seguras, sinalizadas, acessíveis e adequadas ao serviço e ao atendimento.


    Informação sobre quem tem direito a tratamento prioritário

    Tem direito a atendimento prioritário as pessoas com deficiência, os idosos com idade igual ou superior a 60 anos, as gestantes, as lactantes, as pessoas com crianças de colo e os obesos, conforme estabelecido pela lei 10.048, de 8 de novembro de 2000.


Esta página foi útil para você?
Sim (14) Não (26)