Notícias

Infraestrutura

Em Santos, Governo assina contrato de terminais leiloados e visita instalações

“Os investimentos estão acontecendo porque os empresários estão acreditando no Brasil”, afirma o ministro da Infraestrutura
Publicado em 16/11/2020 19h11
Em Santos, Governo assina contrato de terminais leiloados e visita instalações

A previsão mínima de investimentos nos futuros terminais é de R$ 380 milhões. - Foto: Divulgação/Agência Brasil

Os contratos de arrendamento de dois terminais de celulose, no Porto de Santos, em São Paulo, leiloados em agosto deste ano e vencidos pelo consórcio Eldorado Brasil Celulose e Bracell Celulose, foram assinados nesta segunda-feira (16).

Segundo o Ministério da Infraestrutura, as duas empresas administrarão as áreas dos terminais STS14 e STS14A por um período de 25 anos. O grupo Eldorado Brasil Celulose arrematou o terminal STS14 com o lance de R$ 250 milhões. Já o terminal STS14A, foi arrematado pelo grupo Bracell Celulose por R$ 255 milhões. Um total arrecadado de R$ 505 milhões.

“Esses dois contratos, para mim, são muito especiais, porque são frutos de um leilão feito em agosto. Foi o primeiro leilão que nós fizemos após o início da Covid-19. Então, o que nós estamos celebrando aqui, no fim das contas, é a confiança no Brasil. E nós temos que confiar e acreditar no nosso país”, ressalta o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, ao participar da cerimônia, em Santos.

A previsão mínima de investimentos nos futuros terminais é de R$ 380 milhões. São obras de melhoria de acessos terrestres, ferroviários e aquaviários que contribuirão para reforçar a produção brasileira de celulose. Segundo o Ministério da Infraestrutura, o Brasil é hoje o maior exportador de celulose do mundo.

Sobre os terminais STS14 e STS14A

Juntos, de acordo com o Ministério da Infraestrutura, os terminais terão investimentos previstos da ordem de R$ 380 milhões; além de outros R$ 40 milhões incluindo novos acessos rodoferroviários. E renderão R$ 110,9 milhões ao longo de todo o período da concessão para a Santos Port Authority (SPA), autoridade portuária vinculada ao Ministério da Infraestrutura que administra o porto. Também gerarão mais de 7,6 mil empregos diretos e indiretos.

O terminal STS14 tem área de 44,5 mil metros quadrados. A Eldorado Brasil Celulose deverá fazer investimentos, como construção de novo armazém e aquisição de pontes rolantes, para propiciar o descarregamento ferroviário de uma composição de 67 vagões, com 88 toneladas cada.

O STS14A tem área de 45,1 mil metros quadrados. A Bracell Celulose também deve construir no local um novo armazém e fazer investimentos que permitam o mesmo descarregamento ferroviário do outro terminal. Também deverá custear equipamentos que possibilitem remessa de embarque, do armazém para o cais, de, no mínimo, 25 mil toneladas por dia.

“Os investimentos estão acontecendo porque os empresários estão acreditando no Brasil, estão acreditando na condução que está sendo dada”, destaca o ministro da Infraestrutura.

E anunciou que, no ano que vem, o Governo Federal transferirá para a iniciativa privada mais de 50 ativos. “O nosso programa de concessão vai andar a passos largos, em pleno vapor. Nós vamos ver projetos muito importantes acontecendo, como a concessão da Nova Dutra, como as licitações dos 22 aeroportos e dezenas de terminais portuários”, finaliza Tarcísio de Freitas.

Porto de Santos

O Porto de Santos é o maior complexo portuário da América Latina e responde pela movimentação de cerca de 30% das trocas comerciais brasileiras.

Administrado pela Santos Port Authority (SPA), vinculada ao Ministério da Infraestrutura, o Porto de Santos está localizado a cerca de 70 quilômetros da região mais industrializada do Hemisfério Sul e também do maior mercado consumidor e produtor da América Latina, a Grande São Paulo.

Possui área útil total de 7,8 milhões de metros quadrados e seu canal de navegação, com profundidade de 15 metros e largura de 220 metros, possui 55 terminais marítimos e retroportuários.