Notícias

Operação Verde Brasil 2

Combate a crimes e desmatamento estão na mira de operação na Amazônia Legal

Em Marabá (PA), militares e fiscais encontram garimpo clandestino
Publicado em 12/05/2020 18h45 Atualizado em 12/05/2020 18h46
Combate a crimes e desmatamento estão na mira de operação na Amazônia Legal

Operação Verde Brasil 2 vão ocorrer na faixa de fronteira, nas terras indígenas, nas unidades federais de conservação ambiental e em outras áreas federais nos estados da Amazônia Legal - Foto: Foto: EBC

Uma área da União próxima a cidade de Marabá (PA), devastada pela extração ilegal de madeira e garimpo clandestino, foi o cenário encontrado por militares e fiscais com a deflagração da Operação Verde Brasil 2, que teve início nessa segunda-feira (11). A iniciativa do Governo Federal tem ações para combater crimes ambientais como o desmatamento e focos de incêndio na Amazônia Legal.

Com a chegada dos militares, a maioria das pessoas que estava trabalhando no local fugiu e abandonou os equipamentos. Os agentes e soldados apreenderam máquinas e prenderam uma pessoa que estava armada. Na área devastada, principalmente pelo garimpo ilegal, será implantado um projeto de recuperação ambiental.

“Os delitos ambientais agridem esse futuro da região amazônica, seja na água, seja nas nossas selvas, na vegetação, seja nos recursos minerais. Então, quando extraídos ilegalmente são recursos que o País perde em divisas e que deveriam retornar ao uso do próprio brasileiro e do morador da região amazônica”, disse o general Teche.

A operação

As ações da Operação Verde Brasil 2 vão ocorrer na faixa de fronteira, nas terras indígenas, nas unidades federais de conservação ambiental e em outras áreas federais nos estados da Amazônia Legal. De acordo com o Ministério da Defesa, até o momento, estão empregados 3,8 mil militares, 110 viaturas, 20 embarcações e 12 aeronaves.

O general Teche explicou que, por se tratar de uma região extensa e de mata densa, a fiscalização impõe desafios diários aos militares e agentes ambientais. “Um dos grandes desafios são as grandes distâncias da região amazônica. Outro grande desafio são as redes de acesso, normalmente as estradas que tem parte asfaltada e parte de terra e com as chuvas dificulta muitas vezes o movimento das nossas tropas”, relatou.

O general Teche, comandante da 23ª Brigada de Infantaria de Selva de Marabá, explicou que as ações de combate aos crimes ambientais são fundamentais para preservar um patrimônio do povo brasileiro, que é a Amazônia.

Atuação das Forças Armadas

A Operação Verde Brasil 2 conta com a autorização para emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e para ações subsidiárias, conforme previsto em decreto presidencial. A previsão é que os trabalhos durem até o dia 10 de junho. O orçamento inicial é de R$ 60 milhões.

Segundo o general Teche, o papel das Forças Armadas é atuar em apoio aos demais órgãos que participam. “Nosso papel principal é, em coordenação com as agências ambientais, com os órgãos de segurança pública e de fiscalização, apoiar esses órgãos para que nesse período que está decretado o GLO eles tenham melhores condições de cumprir suas missões constitucionais”, afirmou.