Notícias

Amazônia Legal

Governo dá início à Operação Verde Brasil 2

Objetivo é combater crimes ambientais e focos de incêndio na Amazônia Legal
Publicado em 11/05/2020 20h03 Atualizado em 11/05/2020 20h07
20191003---Verde-Brasil-Grande--01.jpg

Objetivo é combater crimes ambientais e focos de incêndio na Amazônia Legal - Foto: Ministério da Defesa

Como parte da Operação Verde Brasil 2, iniciada nesta segunda-feira (11), foram desencadeadas ações para combater crimes ambientais como desmatamento e focos de incêndio na Amazônia Legal.

“Nós traçamos como prioridade esse tipo de operação para enfrentar as ilegalidades que vêm sendo cometidas nas terras notadamente da União, áreas de preservação e terras indígenas buscando impedir e também trazer para as barras da Justiça, da lei, aqueles elementos que estão cometendo infração”, explicou o vice-presidente, Hamilton Mourão.

As atividades foram iniciadas sem aviso e o vice-presidente relatou que no primeiro dia de trabalho foi possível interromper atividades ilegais na região da Floresta Jacundá, em Rondônia. 

O combate às ilegalidades na região é uma das propostas imediatas do Conselho Nacional da Amazônia, coordenado pelo vice-presidente Hamilton Mourão.

As atividades de combate aos crimes ambientais são feitas por fiscais do Ibama e ICMBio e de forças federais como o Exército, Polícia Federal e Força Nacional de Segurança. De acordo com o Ministério da Defesa, o efetivo empregado é de 3,8 mil homens das Forças Armadas, 110 viaturas, 12 aeronaves e 20 embarcações. O custo estimado é de R$ 60 milhões.

A previsão inicial de duração da Operação Verde Brasil é de 30 dias, com encerramento em 10 de junho. Segundo Mourão, esse prazo pode ser estendido caso seja necessário. “Podemos estender porque nossa visão é que vai iniciar o período da seca e vai voltar a queimar, então, temos que estar preparados para impedir que a queimada ocorra”, afirmou o vice-presidente.

Mourão disse que a decisão de desencadear a operação foi debatida com os governadores da região da Amazônia Legal em reunião do Conselho Nacional da Amazônia.

O vice-presidente ressaltou que as ações de combate aos crimes ambientais e ao desmatamento não são sazonais. “Não é uma operação sazonal. Nós vamos levar isso até o final desse período de governo, no intuito de reduzir essas práticas ilegais que vem ocorrendo”, disse. 

Forças coordenadas 

As operações são coordenadas pelo Centro de Operações Conjuntas, do Ministério da Defesa. O planejamento para as ações foi feito com base nos relatórios consolidados pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e em imagens geradas pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM) que indicaram atividades ilegais em áreas protegidas por lei federal.

A Operação Verde Brasil 2 envolve diversos órgãos federais. Foi planejada com base no Decreto No 10.341, de 6 de maio de 2020, assinado pelo Presidente Jair Bolsonaro, que autoriza o emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO), com o objetivo de prevenir e reprimir delitos ambientais, bem como combater focos de incêndio.