Notícias

Transformação

Entenda como será o Centro Afiliado para 4ª Revolução Industrial no Brasil

Unidade é essencial para alavancar investimentos em tecnologias emergentes para aumentar a produtividade, a competitividade e o desenvolvimento social no Brasil
Publicado em 23/01/2020 14h58 Atualizado em 06/02/2020 15h21
Centro afiliado a quarta revolução industrial

Centro deve estimular a adoção de novas tecnologias e melhorar a inserção do Brasil nas cadeias globais de valor - Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

O Brasil terá um centro afiliado ao Fórum Econômico Mundial focado na indústria 4.0 (C4IR). A instalação será a primeira desse tipo no País e foi anunciada em Davos, na Suíça, na quarta-feira (22), pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec/ME), Carlos Da Costa.

De acordo com Da Costa, o lançamento é importante para alavancar investimentos em tecnologias emergentes para aumentar a produtividade, a competitividade e o desenvolvimento social. O Brasil, segundo o secretário, ainda está “longe da maturidade” na indústria 4.0. “Somente 7,5% das empresas usam Indústria 4.0 com excelência, e só 2% das empresas brasileiras estão no estágio mais avançado de indústria 4.0, o que dá a dimensão da importância dessa parceria”, afirmou.

Saiba mais sobre o centro:

Onde será

O Centro será lançado e entrará em operação em São Paulo (SP) ainda no primeiro semestre de 2020. O C4IR Brasil vai funcionar no campus do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). A inauguração está prevista para  maio, durante o Fórum Econômico Mundial para a América Latina, que também ocorrerá na capital paulista.

Objetivos

Acelerar e escalar a adoção de tecnologias emergentes, como Internet das Coisas e Inteligência Artificial, abordando os principais desafios econômicos, sociais e de desenvolvimento.

Atuação

O Centro atuará com marcos regulatórios e políticas públicas que acelerem a implementação, no território nacional e no mundo, de políticas de dados, Internet das Coisas, cidades inteligentes, robótica, inteligência artificial e blockchain.

Resultados esperados

O novo centro deve estimular a adoção de novas tecnologias; melhorar a inserção do Brasil nas cadeias globais de valor; e ampliar a competitividade e a produtividade das empresas brasileiras.

Responsáveis

O centro é uma iniciativa conjunta do Ministério da Economia, do governo do estado de São Paulo e do Fórum Econômico Mundial. Será uma parceria público-privada, concebida pelo Ministério da Economia e pelo governo do estado de São Paulo e apoiada por empresas de atuação global, como AstraZeneca e Bracell.

Contexto

A unidade insere o Brasil na rede dedicada à governança global de tecnologia junto com China, Japão, Índia, Colômbia, Israel e Emirados Árabes. Como parte da rede global do Fórum Econômico Mundial, as equipes trocarão conhecimento e irão acelerar o processo global de adoção de tecnologia.

 

Com informações do Ministério da Economia

Assunto(s): Economia e Finanças