Notícias

isenção

Indígenas e quilombolas terão desconto integral nas contas de energia

Até 30 de junho, parte da população não vai precisar pagar conta de luz
Publicado em 23/04/2020 19h05
População de baixa renda têm isenção do pagamento de contas de energia

Isenção beneficia consumidores da tarifa social do pagamento pelo consumo de até 220 kWh/mês. - Foto: Arquivo/Agência Brasil

Uma das medidas anunciadas pelo Governo Federal para auxiliar a população de baixa renda durante a pandemia da Covid-19 é a isenção do pagamento das contas de energia. Nos próximos três meses, a população não vai precisar pagar conta de luz beneficiando cerca de nove milhões de brasileiros.  Os indígenas e quilombolas que já tem 100% de desconto para o consumo de 50 kw/h passam a ter 100% de desconto até 220 kWh/mês.

O Governo Federal vai repassar R$ 900 milhões a distribuidoras de energia elétrica para custear a eletricidade para famílias de baixa renda. Vão ter direito à isenção as famílias que estão escritas na tarifa social, um programa do Governo Federal que já garante desconto de até 65% nas contas de energia elétrica.

A diarista Maria Conceição dos Santos, de Sobral (CE), é mãe de quatro filhos e está sem trabalhar por causa das medidas de distanciamento social imposta por causa da crise do novo coronavírus. "O valor da última conta de luz veio de R$ 100. Eu tirando R$ 100 do Bolsa Família que eu recebo já faz falta para eu comprar alguma coisa para os meus filhos e hoje eu estou vivendo só da bolsa família", destacou Maria.

A gratuidade vale para o consumo de até 220 kWh/mês de 1º de abril até 30 de junho, e todas as contas de luz recebidas nesse período devem já registrar o desconto. Se a conta não veio com desconto, o consumidor pode pedir uma segunda via, caso não seja possível, ou se a fatura já foi paga, o desconto virá em contas futuras mesmo após os três meses de gratuidade.

Com informações da Voz do Brasil