Relatos e Historias

Minha História com a Rede Ebserh

“O HU-UFSC foi a salvação da vida de minha filha”

Marina - minha história com o HU

Tudo começou quando estava com 20 semanas de gravidez. Fui fazer o ultrassom e descobri a gestação de alto risco. Saí da clínica e fui direto para o Hospital Universitário da UFSC/Ebserh para ficar internada, mas tive de voltar para casa em repouso absoluto. Como fazer repouso absoluto em casa? Praticamente impossível.

No dia 6 de julho de 2013, com 24 semanas, fui para o HU com dor e sangramento onde, graças ao médico residente, fui finalmente internada para tentar segurar a gravidez. Mas não deu e acabei entrando em trabalho de parto. Com 24 semanas e um dia, estava no limite entre um aborto e a sobrevivência de minha filha. Aqui começa uma história de muita luta pela vida, que é a história de minha guerreira, Marcela.

Ela nasceu com 635 gramas e 31 centímetros e teve duas paradas respiratórias ao nascer. Com 20 dias e pouco mais de 700 gramas, teve de passar por uma cirurgia em outro hospital, passando 27 dias intubada. Voltamos para o HU, onde aprendi tudo que sei hoje sobre lidar com bebês prematuros. O método Canguru é uma coisa fantástica, do outro mundo, e eu só tenho a agradecer. A gente pensa que é uma coisa à toa, mas você vê a criança ganhando peso e reagindo cada vez mais.

Marcela enfrentou várias batalhas, teve retinoplastia da prematuridade, correndo sérios riscos de perda parcial ou total da visão, mas também superou isso. Foram 44 dias de cateter nasal, oito transfusões sanguíneas e, depois de 87 dias, recebeu alta com 2,4 quilos e 36 centímetros. Aos cinco meses de vida e dois meses de idade corrigida, já pesava 4,295 quilos, 54 centímetros e sem sequelas. Em 2020, ela já completou sete anos, saudável e feliz.

O que é ser uma mãe de prematuro? É ser pega de surpresa, é ver todas suas expectativas serem frustradas, é não ter foto de barriga, é não ter nada arrumado, é a incerteza do dia a dia, é chegar no hospital sem saber qual a verdadeira situação, é comemorar a cada 5 gramas de peso, é dormir preocupada e saber que, a qualquer momento, podem te ligar e dizer que seu bebê não resistiu.

Mas tivemos a sorte grande de contar com o carinho e profissionalismo da equipe do HU e ter a Marcela. Hoje só tenho a agradecer a toda a equipe da UTI Neonatal e à equipe do HU, ao Dr. Pablo e à Marcela, que foi mais do que uma guerreira.

Marina da Luz Machado, publicitária
Mãe de Marcela, de 7 anos

Sobre a Ebserh     

Desde março de 2016, o HU-UFSC é filiado à Rede Ebserh. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, contribuem para a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.