Notícias

Inclusão e respeito

Parceria entre ONG, HUB e Ebserh beneficia deficientes auditivos e moderniza tratamento de documentos administrativos

Experiência foi implantada na digitalização de processos do Hospital Universitário de Brasília
Publicado em 08/10/2021 15h23 Atualizado em 08/10/2021 16h33
20211004-_MG_3046.jpg
Caso a experiência dê certo, a parceria poderá ser ampliada para outras unidades da Rede Ebserh/MEC
20211004-_MG_3019.jpg
20211004-_MG_3020.jpg
20211004-_MG_3021.jpg
20211004-_MG_3022.jpg
20211004-_MG_3023.jpg
20211004-_MG_3024.jpg
20211004-_MG_3025.jpg
20211004-_MG_3026.jpg
20211004-_MG_3068.jpg
20211004-_MG_3067.jpg
20211004-_MG_3065.jpg
20211004-_MG_3066.jpg
20211004-_MG_3064.jpg
20211004-_MG_3063.jpg
20211004-_MG_3062.jpg
20211004-_MG_3061.jpg
20211004-_MG_3060.jpg
20211004-_MG_3059.jpg
20211004-_MG_3058.jpg
20211004-_MG_3057.jpg
20211004-_MG_3056.jpg
20211004-_MG_3055.jpg
20211004-_MG_3054.jpg
20211004-_MG_3053.jpg
20211004-_MG_3052.jpg
20211004-_MG_3050.jpg
20211004-_MG_3051.jpg
20211004-_MG_3049.jpg
20211004-_MG_3046.jpg
20211004-_MG_3045.jpg
20211004-_MG_3044.jpg
20211004-_MG_3043.jpg
20211004-_MG_3042.jpg
20211004-_MG_3027.jpg
20211004-_MG_3029.jpg
20211004-_MG_3030.jpg
20211004-_MG_3031.jpg
20211004-_MG_3028.jpg
20211004-_MG_3036.jpg
20211004-_MG_3033.jpg
20211004-_MG_3032.jpg
20211004-_MG_3035.jpg
20211004-_MG_3034.jpg
20211004-_MG_3037.jpg
20211004-_MG_3038.jpg
20211004-_MG_3039.jpg
20211004-_MG_3040.jpg
20211004-_MG_3041.jpg

Brasília (DF) – Há 34 anos, Marcus Vinicius de Souza nasceu na cidade de Valparaíso (GO), no entorno do Distrito Federal, com surdez.  Como todas as pessoas com algum tipo de limitação física, durante toda a sua vida batalhou por inclusão, mantendo sempre a cabeça erguida. Há 10 anos, Marcus começou a atuar na Associação de Centro de Treinamento de Educação Física Especial (Cetefe), uma organização não-governamental (ONG) que atua em atividades pedagógicas, esportivas, estudo e pesquisas, trabalho, habilitação e reabilitação. Lá, ele trabalha no processo de digitalização de documentos de instituições parceiras, como é o caso do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), vinculado à Rede Ebserh/MEC.

A parceria entre o HUB e a Cetefe está auxiliando na promoção da inclusão de pessoas com deficiência auditiva. Por meio de um contrato firmado entre a unidade hospitalar pública e a organização não-governamental (ONG), os processos em papel do HUB estão sendo convertidos em formato digital.  “Nós pegamos as caixas com os processos que vêm do HUB, fazemos a classificação, separação por ano e inserimos as informações em uma planilha. A importância desse trabalho para nós é a questão da motivação e da responsabilidade”, afirma Marcus, com apoio de interpretação de Libras da ONG. Ele lida com a primeira parte do processo, que é o tratamento dos documentos, que depois passam para a digitalização propriamente dita.

O diretor de Gestão de Pessoas da Rede Ebserh/MEC, Rodrigo Barbosa, avaliou a parceria como extremamente positiva tanto para a solução de uma questão institucional quanto para a questão de inclusão social. “Ao mesmo tempo em que resolvemos um problema administrativo que já vinha se arrastando há algum tempo, que é o arquivo de um grande hospital como o HUB, nós colocamos em prática uma política social muito bonita, dando oportunidade para a atuação profissional de pessoas com deficiência. Isso é muito gratificante”, ressaltou.

A Cetefe foi fundada com o objetivo de promover assistência gratuita, continua e planejada às pessoas com deficiência, cuidadores e seu núcleo familiar. As ações são implantadas com intenções de estimular a pessoa com deficiência para seu ingresso no mundo do trabalho por meio da produtividade, autoestima, capacidade, além de vivência e convivência social de forma organizada e com igualdade de oportunidade.

Outra pessoa beneficiada é Wanderson Alves, de 31 anos, que atua na Cetefe há um ano e meio. Ele é responsável pela etapa de conversão do meio físico para o meio digital de todos os documentos encaminhados pelo hospital da Rede Ebserh/MEC. “Eu pego os processos já higienizados, realizo a digitalização e validação, que é colocar todo o processo digital igual ao processo físico. Tenho que apagar as folhas em branco, colocar na ordem cronológica, verificar se falta alguma folha, por exemplo, para que fique idêntico ao processo original”, explica Wanderson, também por meio de tradução de Libras.

Caso a experiência dê certo, a parceria poderá ser ampliada para outras unidades da Rede Ebserh/MEC.

Sobre a Rede Ebserh

O HUB-UnB faz parte da Rede Ebserh desde 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Essas unidades hospitalares, que pertencem a universidades federais, têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde.

Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde das regiões em que os hospitais estão inseridos, mas se destacam pela excelência e vocação nos procedimentos de média e alta complexidades.

Coordenadoria de Comunicação Social da Rede Ebserh/MEC