Notícias

Eletroacupuntura

Hospital vinculado à Ebserh na Paraíba desenvolve projeto que trata o zumbido crônico

"Vários estudos têm sido publicados atribuindo à eletroacupuntura efeitos analgésicos, anti-inflamatórios, neurorregulatórios e homeostáticos”, ressalta a especialista
Publicado em 12/01/2021 11h10 Atualizado em 12/01/2021 17h29
11012021 eletroacupuntura hulw.jpeg

O projeto é executado pela médica Mayra Ferreira de Freitas Montenegro

João Pessoa (PB) - Uma médica acupunturista do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB), vinculado à Ebserh, está desenvolvendo um projeto que busca tratar o zumbido no ouvido por meio de eletroacupuntura (a eletroacupuntura é uma modalidade terapêutica neuromodulatória, onde pequenos estímulos elétricos são aplicados em algumas agulhas inseridas em pontos específicos de acupuntura).

Chamado cientificamente de ‘Acufen’, o zumbido no ouvido é um problema que afeta cerca de 15% da população mundial, ocorre em qualquer idade, porém é mais prevalente após os 60 anos. “O zumbido é um sintoma definido como uma percepção sonora sem uma fonte geradora de som, que pode se manifestar nos ouvidos ou na cabeça. Apresenta uma grande variedade de fatores associados à sua manifestação, e se diz crônico quando persiste por mais de seis meses”, esclarece a médica Mayra Freitas.

Geralmente, acrescenta a especialista, “o zumbido é uma percepção auditiva ‘fantasma’, que é percebida apenas pelo paciente — e isso dificulta a investigação do problema”, diz. Para muitas pessoas, o zumbido pode parecer chiado, apito, cigarra, cachoeira, panela de pressão ou, até mesmo, ainda que seja raro, o barulho do coração batendo no ouvido e alguns cliques ou estalos.

Pessoas maiores de 18 anos que apresentam esses sintomas podem se inscrever para ter acesso à terapia com eletroacupuntura. O tratamento é feito no Ambulatório de Acupuntura do HULW, onde são realizadas dez sessões, sendo duas por semana, sempre nas terças e quintas-feiras, nos turnos da manhã ou tarde.  Não podem participar do estudo:  gestantes; pacientes que têm alguma prótese interna; cardiopatas severos; e pessoas que já fizeram eletroacupuntura antes.

Sobre a Rede Ebserh

O HULW-UFPB faz parte da Rede Ebserh desde dezembro de 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Coordenadoria de Comunicação Social da Rede Ebserh