Acessar os acervos biológicos do Museu Paraense Emílio Goeldi
Iniciar
Última Modificação: 17/12/2019
  • O que é?

    Acesso público para consulta ao banco de dados dos acervos biológicos do Museu Paraense Emílio Goeldi, que abriga todos os registros informatizados das coleções científicas de animais (vertebrados e invertebrados), plantas, fungos e de fósseis. 

  • Quem pode utilizar este serviço?

    Estudantes, principalmente alunos de graduação e pós-graduação

    Pesquisadores brasileiros e estrangeiros

    Gestores envolvidos com meio ambiente e políticas públicas

    Empresas

    Público em geral

    A plataforma é de livre acesso, não sendo necessária qualquer avaliação de requisito. Apenas acessos a informações mais restritas (quando houver) devem ser requisitados ao curador.

  • Etapas para a realização deste serviço
    1. Acessar os acervos do Museu

      O usuário deve acessar o endereço eletrônico do Museu Paraense Emílio Goeldi e selecionar as coleções biológicas que deseja pesquisar.

      Canais de prestação

        Web : 

      Para acervo de plantas e animais, acesse aqui.

        Web : 

      Para acervo de fósseis, acesse aqui.

      Tempo de duração da etapa

      Atendimento imediato
  • Outras Informações
    Quanto tempo leva?
    Atendimento imediato

    Este serviço é gratuito para o cidadão.

    Para mais informações ou dúvidas sobre este serviço, entre em contato

    Coleções do Herbário: Curador: Pedro L. Viana ()
    Telefone: (91) 3217-6078

    Coleção Entomológica: Curador: Orlando Tobias Silveira ()

    Coleções: Aracnologia e Miriápodos: Alexandre B. Bonaldo (bonaldo@museu-goeldi.br)

    Coleções: Carcinológica e Invertebrados não-artrópodos: Cleverson R. M. Santos (crsantos@museu-goeldi.br)

    Coleção Icitiológica: Curador: Wolmar B. Wosiacki (wolmar@museu-goeldi.br)

    Coleção Herpetológica: Curador: Ana L. C. Prudente (prudente@museu-goeldi.br

    Coleção Mastozzológica: José Silva-Júnior (cazuza.junior@museu-goeldi.br)

    Coleção Paleontológica: Maria Inês Feijó Ramos (mramos@museu-goeldi.br)


    Este é um serviço do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações . Em caso de dúvidas, reclamações ou sugestões favor contactá-lo.

    Tratamento a ser dispensado ao usuário no atendimento

    O usuário deverá receber, conforme os princípios expressos na lei nº 13.460/17, um atendimento pautado nas seguintes diretrizes:

    • Urbanidade;
    • Respeito;
    • Acessibilidade;
    • Cortesia;
    • Presunção da boa-fé do usuário;
    • Igualdade;
    • Eficiência;
    • Segurança; e
    • Ética.

    Informações sobre as condições de acessibilidade, sinalização, limpeza e conforto dos locais de atendimento

    O usuário do serviço público, conforme estabelecido pela lei nº13.460/17, tem direito a atendimento presencial, quando necessário, em instalações salubres, seguras, sinalizadas, acessíveis e adequadas ao serviço e ao atendimento.


    Informação sobre quem tem direito a tratamento prioritário

    Têm direito a atendimento prioritário as pessoas com deficiência, os idosos com idade igual ou superior a 60 anos, as gestantes, as lactantes, as pessoas com crianças de colo e os obesos, conforme estabelecido pela lei 10.048, de 8 de novembro de 2000.


Esta página foi útil para você?
Sim (3) Não (2)