Notícias

Retomada do turismo

Dez cidades passam a fazer parte do projeto Destinos Turísticos Inteligentes

A ideia é ampliar a competitividade, melhorar a eficiência e promover o desenvolvimento sustentável local
Publicado em 30/06/2021 15h46 Atualizado em 30/06/2021 16h05
Dez cidades passam a fazer parte do projeto Destinos Turísticos Inteligentes

Florianópolis é uma das cidades que fazem parte do projeto-piloto. - Foto: Caio Vilela/MTur

O Distrito Federal e mais nove cidades brasileiras passam a fazer parte do projeto-piloto Destinos Turísticos Inteligentes (DTIs), fruto de um acordo de cooperação técnica entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o Ministério do Turismo (MTur). O compromisso com as dez cidades foi assinado nesta quarta-feira (30).

A partir de agora, será feito um diagnóstico dos destinos para desenvolvimento dos municípios. As localidades contarão com apoio do Governo Federal para elaboração de projetos que têm como objetivo a melhoria do acolhimento aos turistas, como acessibilidade, projetos de sustentabilidade e cuidados com o meio ambiente, melhoria da segurança, conectividade e interatividade, com pontos de wi-fi gratuito, entre outros.

A expectativa é tornar cada destino escolhido um ambiente que consiga transmitir uma experiência inovadora e única aos visitantes com destinos mais competitivos e atraentes. Além disso, proporcionar uma melhoria de gestão, possibilitando a garantia de sustentabilidade econômica, social e ambiental de forma inovadora.

“A gente precisa colocar infraestrutura adequada para atender bem os turistas, do próprio país e de fora, que vêm visitar o nosso Brasil”, afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes. “É uma preocupação em se utilizar a tecnologia para melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem naquele local, mas também favorecer o turismo, favorecer a utilização dos recursos naturais de forma sustentável através da tecnologia, também para que nós tenhamos a melhoria do desenvolvimento econômico e social da região.”

Cidades

O projeto-piloto de implantação de Destinos Turísticos Inteligentes conta com duas cidades de cada região: Rio Branco/AC e Palmas/TO (Norte); Recife/PE e Salvador/BA (Nordeste); Campo Grande/MS e Brasília/DF (Centro-Oeste); Florianópolis/SC e Curitiba/PR (Sul); e Rio de Janeiro/RJ e Angra dos Reis/RJ (Sudeste).

"Contem conosco para que a gente consiga construir um equipamento que realmente auxilie o turismo, que transforme em emprego e renda para a população”, ressaltou o ministro do Turismo, Gilson Machado. "O nosso país tem um dos maiores potenciais do mundo na retomada [do turismo]. E o mundo todo vai querer turismo de natureza, vai querer o que o Brasil tem e outros países não têm.”

Destino Turístico Inteligente

O conceito de Destinos Turísticos Inteligentes (DTIs) foi desenvolvido pela Sociedade Mercantil Estatal para a Gestão da Inovação e as Tecnologias Turísticas, da Espanha, em 2013. O projeto foi adaptado pelo instituto argentino Ciudades Del Futuro (ICF). As duas instituições são parceiras do Brasil na implantação do projeto.

Destino Turístico Inteligente foi definido como um “espaço turístico inovador, acessível a todos, consolidado sobre uma infraestrutura tecnológica de vanguarda que garante o desenvolvimento sustentável do território, que facilita a interação e integração do visitante com o entorno e incrementa a qualidade da sua experiência no destino e a qualidade de vida dos residentes”.

São cinco os pilares do projeto: governança, inovação, tecnologia, sustentabilidade e acessibilidade. A expectativa é que seja desenvolvida uma metodologia que possa ser replicada para qualquer outro destino que tenha interesse em transformar-se em um DTI.

Saiba mais sobre os Destinos Turísticos Inteligentes