Notícias

Telecomunicações

Autorizados R$ 400 milhões em debêntures para investimentos em sete estados

Portaria permite a emissão de recursos para projeto de implantação e ampliação de redes na Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Norte e São Paulo
Publicado em 07/07/2021 11h29 Atualizado em 07/07/2021 12h50
Autorizados R$ 400 milhões em debêntures para investimentos em sete estados

O MCom aprovou o projeto de investimento em telecomunicações da empresa Triple Play Brasil Participações - Foto: Agência Brasil

O Ministério das Comunicações (MCom) aprovou, nesta quarta-feira (7), o projeto de investimento em transporte e rede de acesso fixa para telecomunicações da empresa Triple Play Brasil Participações. A proposta prevê a emissão de R$ 400 milhões em debêntures incentivadas.

O projeto beneficia diretamente os estados da Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Norte e São Paulo. Com a implantação da infraestrutura, será possível melhorar a qualidade e a disponibilidade dos serviços oferecidos e promover as melhores soluções tecnológicas no setor de telecomunicações.

A instituição autorizada poderá captar o recurso necessário junto ao mercado, por meio da emissão de títulos de crédito privado que buscam, no médio e longo prazo, financiar os investimentos e os compromissos financeiros. Investidores interessados em debêntures incentivadas basicamente emprestam dinheiro por um prazo pré-estabelecido em troca de uma remuneração.

Estímulo a projetos de investimento

A autorização de emissão das debêntures incentivadas é uma estratégia para estimular a participação do mercado privado no financiamento com longo prazo das infraestruturas de telecomunicações. O mecanismo é previsto em regulamentação definida na Portaria nº 502/2020.

Com a emissão de debêntures incentivadas, há uma redução do imposto de renda (IR) que incide sobre os ganhos obtidos a partir dos títulos de crédito emitidos para financiar os projetos. Para pessoas físicas interessadas em investir, o tributo é zerado, sem qualquer cobrança sobre a remuneração do investimento. Para as empresas (pessoas jurídicas), o IR cai de 22,5% para 15%.

Desde o ano passado, o MCom publicou 13 portarias aprovando projetos prioritários e autorizando a captação de mais de R$ 13,8 bilhões para a implementação de redes de banda larga e expansão da rede móvel em todo o país.


Com informações do Ministério das Comunicações