Notícias

Infraestrutura

Pista de pouso é homologada em Terra Indígena no Pará

O espaço será usado para ações humanitárias, entre elas, a remoção emergencial de pacientes, a entrega de medicamentos e suprimentos e a mobilização de equipes de saúde
Publicado em 15/06/2021 16h33

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) homologou o aeródromo Zo’é, localizado na Terra Indígena de mesmo nome, no município de Óbidos, no Pará.

Segundo o coordenador-geral de Índios Isolados e de Recente Contato, da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Torres, a homologação da pista de pouso na Terra Indígena Zo'é é um marco para a Funai e para a Frente de Proteção Etnoambiental Cuminapanema, já que o transporte aéreo é a única alternativa para o acesso à Base de Proteção Etnoambiental (Bape) da fundação.

“Com a homologação, o acesso à base passa a ser realizado de forma segura e regular. A Bape Cuminapanema é fundamental para garantir os direitos do povo Zo'é, como segurança e atendimento diferenciado à saúde”, ressaltou.

As pistas de pouso em Terras Indígenas são usadas para ações humanitárias, entre elas, a remoção emergencial de pacientes, a entrega de medicamentos e suprimentos e a mobilização de equipes de saúde, além de deslocamentos de indígenas em busca de serviços como operações bancárias e comerciais. As pistas também são importantes para as ações de órgãos ambientais e de segurança pública.


Com informações da Funai