Notícias

Covid-19

Aviação civil adota novas regras sanitárias para voos e aeroportos

Passageiros e funcionários devem usar máscara de proteção por todo o voo
Publicado em 20/05/2020 16h12 Atualizado em 20/05/2020 16h38
Aeroporto

Aeroporto Internacional de Campo Grande: um dos aeroportos que está em funcionamento, de acordo com site da Infraero - Foto: Infraero

Uso de máscaras pelos passageiros durante toda a viagem, regras para serviço de bordo e manutenção do distanciamento social de pelo menos dois metros nos aeroportos. Essas são algumas das novas medidas sanitárias para a aviação civil brasileira, que foram publicadas nessa terça-feira (19) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O novo protocolo já está sendo adotado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a pedido do Ministério de Infraestrutura. O objetivo é garantir mais segurança para passageiros e comunidade aeroportuária, ou seja, por todos que trabalham direta ou indiretamente nos aeroportos. 

As novas medidas sanitárias e a malha aérea essencial buscam proteger os passageiros e profissionais que precisam se deslocar, além de preparar o setor aéreo para o momento de retomada da demanda pelo transporte. Em abril, a demanda por voos domésticos recuou 93,1% e a oferta foi reduzida em 91,6%. No mercado internacional, a redução de demanda chegou a 96,1% e a oferta está 91,1% menor do que no mesmo período do ano passado.

 Conheça as medidas que passam a ser obrigatórias para empresas aéreas e aeroportos

    Utilização de EPI (Equipamentos de Proteção Individual) por trabalhadores e servidores públicos, conforme a situação;

    Incentivo a campanhas de comunicação visando a prevenção e combate à Covid-19;

      Divulgação de avisos sonoros nos voos, áreas de embarque e desembarque nacionais e internacionais;

        Distanciamento de 2 metros entre pessoas nos aeroportos;

          Desestímulo a aglomerações nas praças de alimentação de aeroportos e em espaços de check-in de embarque e, especialmente, desembarque dentro das aeronaves;

            Uso de máscara por passageiros e funcionários em geral;

              Desinfecção de toda a área de movimentação de passageiros, pontes de embarque, aeronaves, ônibus e demais espaç​os de uso comum;

                Organização criteriosa do procedimento de embarque de passageiros e especialmente desembarque da aeronave até o solo, orientando para que os passageiros permaneçam sentados na aeronave no pouso e informados que o desembarque será realizado por filas, iniciando pelos assentos situados mais à frente da aeronave; 

                  Recomendada a suspensão do serviço de bordo nos voos nacionais. No caso de manutenção desse serviço, priorizar alimentos e bebidas em embalagens individuais, higienizadas antes do serviço. Nos voos internacionais, deve ser priorizado alimentos e bebidas em embalagens individuais, higienizadas antes do serviço. 

                  Situação Atual 

                  Atualmente, a malha aérea essencial em funcionamento abrange 44 cidades e tem 1.254 voos semanais.  Eram previstos anteriormente 14.781 voos para o período, uma redução de 90% nos voos domésticos. No mercado internacional, a redução é de praticamente 100%. De acordo com o Ministério da Infraestrutura, os poucos voos existentes são focados em repatriação de brasileiros que estão no exterior e no transporte de carga.

                  Fonte: Ministério da Infraestrutura