Notícias

TRÂNSITO

Denatran amplia prazo para cinco estados disponibilizarem placas no novo padrão Mercosul

Nas demais unidades federativas, a nova placa já está sendo disponibilizada
Publicado em 04/02/2020 19h00 Atualizado em 06/02/2020 10h41
Placa Mercosul

O diferencial da placa do Mercosul em relação ao modelo atual (cinza) são os itens de segurança, como o QR Code, que possibilita a rastreabilidade, dificultando a sua clonagem e falsificação. - Foto: Divulgação

Desde 31 de janeiro, os Departamentos de Trânsito (Detran) estaduais e do Distrito Federal começaram a disponibilizar o novo modelo de Placas de Identificação Veicular no padrão Mercosul. Contudo, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) prorrogou o prazo para os órgãos de trânsito de Minas Gerais, Mato Grosso, Tocantins, Sergipe e Alagoas se adequarem: até o dia 17 de fevereiro deste ano.

O art. 26 da Resolução prevê que o Denatran possa prorrogar o prazo em face de aspectos regionais justificados e fundamentados. É o caso desses estados, que alegam falhas na implantação do sistema e/ou atraso no credenciamento de estampadores. A prorrogação do prazo é restrita a esses cinco Detrans. Nas demais 22 unidades federativas, a nova placa já está sendo disponibilizada.

A nova PIV será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento de veículos novos ou em razão de danos ou furto, como destacou o presidente da República, Jair Bolsonaro, nas redes sociais.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, também falou sobre as novas placas nas redes sociais. "Corrigimos todos os pontos polêmicos da antiga "Placa Mercosul" com a nova placa (necessária por conta do aumento da frota). Abrimos mercado, tiramos elementos patenteados e garantimos redução nos custos. E o mais importante: ninguém precisa correr para trocar. A placa antiga segue valendo˜, registrou.

O diferencial da placa do Mercosul em relação ao modelo atual (cinza) são os itens de segurança, como o QR Code, que possibilita a rastreabilidade, dificultando a sua clonagem e falsificação. A adoção do novo modelo também resolve o problema da falta de combinações de caracteres para as placas do país, que acabariam em poucos anos. O novo modelo permite mais de 450 milhões de combinações, o que, considerando o padrão de crescimento da frota de veículos no Brasil, pode valer por mais de cem anos.

Atualmente, há quase 4,9 milhões de veículos emplacados com a PIV do Mercosul. Além do Brasil, também Argentina, Paraguai e Uruguai adotaram o novo padrão.

Com informações do Ministério da Infraestrutura