Notícias

Saúde

Parceria desenvolve plataforma de telemedicina para operações cardíacas

Sistema está em fase de desenvolvimento e, inicialmente, será usado para operar crianças com problemas no coração
Publicado em 25/01/2021 18h00 Atualizado em 25/01/2021 18h21
Parceria desenvolve plataforma de telemedicina para operações cardíacas

Plataforma também apoiará o desenvolvimento de terapias inovadoras - Foto: MCTI

Com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Instituto do Coração (InCor), do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), desenvolve uma plataforma de telemedicina que usará 5G e Internet das Coisas (IoT) para capacitação de cirurgiões cardíacos e apoio a operações complexas em hospitais longe dos grandes centros. A plataforma está em fase de validação e será usada inicialmente para operar bebês com cardiopatias congênitas.

Desenvolvida pelo Núcleo de Inovação do InCor (InovaInCor), a Plataforma Nacional de Teleconferência de Ato Cirúrgico também apoiará o desenvolvimento de terapias inovadoras e a diversificação de práticas. O investimento do ministério é de R$ 597 mil.

A plataforma conta com ferramentas para o planejamento da cirurgia, acompanhamento do procedimento à distância e avaliação posterior da operação pelas equipes envolvidas. O projeto permite a gestão dos dados clínicos do paciente com uso de imagens, vídeos e documentos; a impressão 3D de biomodelos e simulação com realidade aumentada a partir do uso de exames como tomografia e ressonância; gestão dos sinais captados pelos equipamentos do centro cirúrgico remoto, por meio de tecnologias de IoT; além de reuniões virtuais entre as equipes.

Segundo Fábio Jatene, coordenador do InovaIncor e vice-presidente do Conselho Diretor do hospital, a plataforma ainda ajudará a equilibrar a distribuição irregular de médicos no país. Ele acrescenta que a correção de problemas cardíacos em crianças no primeiro ano de vida é uma questão de saúde pública da maior relevância.


Com informações do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações