Notícias

Novembro Roxo

Saúde repassará mais de R$ 335 milhões aos estados para aumentar o cuidado com a mãe e o recém-nascido

Recursos serão destinados para compra de equipamentos voltados à assistência de gestantes
Publicado em 27/11/2020 10h54
Saúde repassará mais de R$ 335 milhões aos estados para aumentar o cuidado com a mãe e o recém-nascido

A professora Tatiane Morais dos Reis teve o filho com 31 semanas de gestação - Foto: Arquivo Pessoal

Um total de R$ 335 milhões será repassado aos estados brasileiros para a compra de equipamentos destinados ao cuidado e à assistência pública às gestantes e recém-nascidos. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e tem como objetivo melhorar o atendimento ao pré-natal, prevenir o parto prematuro e intensificar os cuidados aos recém-nascidos. A medida faz alusão ao Novembro Roxo, mês da conscientização para a prevenção da prematuridade.

Segundo o ministro, mais de 50% dos óbitos infantis podem ser evitados a partir de uma atenção cuidadosa à gestação e ao parto.

“É muito importante reforçar o acompanhamento da gestação na Atenção Primária. Não podemos ter medo de procurar as Unidades de Saúde. Mães e pais têm de procurar o mais rápido possível para que o acompanhamento e o momento do parto prematuro seja acompanhado; e os bebês nasçam com a maior segurança possível”, ressalta Eduardo Pazuello.

Nessa quinta-feira (26), o Ministério da Saúde lançou a campanha “Juntos pelos Prematuros: Cuidando do Futuro”.

Prematuros

Em todo o mundo, 15 milhões de crianças nascem prematuras todos os anos. No Brasil, são, em média, 340 mil bebês, anualmente, que nascem antes das 37 semanas de gestação.

Segundo o Ministério da Saúde, aqui no Brasil, 11,7% de todos os partos ocorrem antes do tempo. Ocupamos a 10ª posição entre as nações onde são registrados mais casos de prematuridade. Um outro dado, da Organização Mundial de Saúde (OMS), revela que, no ano passado, a prematuridade foi a principal causa de mortalidade infantil em todo o mundo.

O ministro chamou a atenção para a meta do Governo Federal de reduzir, até 2030, as taxas de mortalidade na infância. “Não vamos abandonar nossos bebês, não vamos abandonar as nossas mães. Gostaria de salientar que o nosso sistema de saúde está preparado para cuidar dessas crianças e que olha para o cidadão desde o momento que ele está na barriga de sua mãe até a sua velhice. O cuidado é integral e pela vida toda.”

Ações já desenvolvidas para evitar a prematuridade

Para reduzir a mortalidade infantil no Brasil, muitas vezes causada pela prematuridade, o Ministério da Saúde promove uma série de ações. Entre elas:

- O início precoce do pré-natal;

- O fortalecimento da Política Nacional de Aleitamento Materno, investimento em Banco de Leite; e

- Implantação do Método Canguru, um modelo de atenção ao recém-nascido criado para minimizar o impacto da prematuridade no desenvolvimento do recém-nascido.

Segundo o Ministério da Saúde, um bebê que nasce prematuro, poderá desenvolver problemas respiratórios, infecções e problemas relacionados à nutrição. Entre as causas que podem levar ao parto prematuro, estão: a hipertensão materna (pressão alta) e infecções.

A professora Tatiane Morais dos Reis viveu de perto a questão da prematuridade. Ela teve o filho com 31 semanas de gestação. Foi uma gravidez de risco. Ao nascer, o filho Arthur precisou de respirador e incubadora. Tatiane contou como foi a experiência.

“Vivenciamos toda aquela experiência com muita dor, mas, também, com muito aprendizado”, conta a professora. Segundo ela, na UTI, ao lado do pequeno, que hoje passa bem, ela teve a oportunidade de aprender sobre amamentação e os cuidados com o bebê. “Eu vivia no banco de leite. As meninas de lá me ajudaram demais. Eu só tenho a agradecer por todo o apoio que eu tive no período de internação do Arthur.”

E deixou um recado para todas as mamães que estão vivenciando a experiência da prematuridade: “Se você está vivenciando esse momento, vai passar. Vocês vão vencer, porque nós somos fortes, esses bebês querem viver e lutam para estar aqui”.

Novembro Roxo

O chamado Novembro Roxo é um mês internacional de sensibilização para a prematuridade. É um mês inteiro dedicado a ações e eventos ligados ao tema. O objetivo é promover uma série de atividades para conscientizar a população brasileira e chamar a atenção para a causa. O Dia Mundial da Prematuridade é lembrado em 17 de novembro.