Notícias

Plataforma digital

Hospitais universitários podem notificar casos de coronavírus por ferramenta on-line

Objetivo é subsidiar tomadas de decisão na rede
Publicado em 19/03/2020 13h46
Hospitais universitários podem notificar casos de coronavírus por ferramenta on-line

O Hospital Universitário de Brasília é uma das 40 unidades administradas pela Ebserh - Foto: Ascom/HUB

 Hospitais universitários federais, vinculados à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), poderão notificar casos de coronavírus em seus pacientes por meio da plataforma digital Gestão dos Hospitais Universitários (AGHU). O objetivo é monitorar os casos que estão sendo atendidos na Rede, que administra 40 hospitais-escola federais, e auxiliar na tomada de decisão a nível local e nacional. 

“Os dados coletados vão permitir a criação de painéis e relatórios em tempo real com informações sobre os casos, que poderão ser acompanhados pela administração central, situada em Brasília (DF), e pelos hospitais”, destacou o coordenador de Desenvolvimento de Sistemas da Ebserh, Rodrigo Magalhães.

Os profissionais devem realizar a notificação nos seguintes módulos: ambulatório, internação e/ou prescrição médica. Os manuais estão disponíveis no portal do AGHU, nos submenus referentes aos respectivos módulos.

Nas redes sociais, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, pediu aos alunos de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia e Farmácia que voltem às aulas. "Os departamentos de Saúde das universidades não podem parar. A Nação, nesse momento, precisa de gestores serenos e da união de todos", conclamou.

Atuação da Ebserh

Desde os primeiros anúncios sobre o novo coronavírus a Ebserh trabalha em parceria direta com o Ministério da Saúde, participando do Centro de Operações de Emergência (COE) da pasta e tendo como diretrizes: monitorar a situação no Brasil e em suas unidades; realizar treinamento de funcionários da Rede; promover webaulas; definir fluxos; montar câmaras técnicas de discussões com especialistas e atuar como hospitais referência em algumas regiões.

Com informações do Ministério da Educação