Notícias

AMAZÔNIA

Operação Verde Brasil 2 completa 6 meses de atuação

Até o momento, a missão assegurou o combate a mais de 7,5 mil focos de incêndio
Publicado em 11/11/2020 16h19
Operação Verde Brasil 2 completa 6 meses de atuação

A iniciativa é coordenada pelo Ministério da Defesa com o emprego de militares das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem - Foto: Ministério da Defesa

Nesta quarta-feira (11), a Operação Verde Brasil 2 completa 6 meses de ações preventivas e repressivas contra crimes ambientais na região da Amazônia Legal. A iniciativa é coordenada pelo Ministério da Defesa com o emprego de militares das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem. Até o momento, a missão assegurou o combate a mais de 7,5 mil focos de incêndio.

Militares da Marinha, Exército e Aeronáutica, coordenados com agentes de órgãos de Segurança Pública e de Proteção Ambiental, mobilizaram mais de 51,3 mil inspeções e patrulhas navais e terrestres, incluindo bloqueio e controle de estradas.

A permanência das Forças Armadas na Amazônia Legal foi autorizada pelo Decreto 10.539, de 4/11/2020, assinado pelo Presidente Jair Bolsonaro. A missão busca contribuir com as ações para preservação da Amazônia previstos pelo Conselho Nacional da Amazônia (CNA).

Em média, estão envolvidos 3,4 mil militares e 300 agentes de órgãos parceiros. O efetivo de militares é reforçado sempre que necessário. As ações utilizam 160 viaturas, 42 embarcações, dois navios e 11 aeronaves.

Resultados

Até o momento, mais de 99 mil hectares foram embargados. O valor das multas e termos de infração aplicado ultrapassa R$ 1,79 bilhão. Esse montante corresponde a sete vezes mais o que o investido na própria operação.

Em 180 dias de ação, foram emitidos 183 autos de prisão em flagrante delito. A Verde Brasil 2 apreendeu 178 mil metros cúbicos de madeira ilegal, além de 26,3 mil armas e munições e 390 kg de drogas. Além disso, foram feitas mais de 1,2 mil ações de apoio logístico aos órgãos de Segurança e Proteção Ambiental e apreendidos 36.774 litros de combustível.

Integração

O Grupo Integrado de Proteção da Amazônia (Gipam) é responsável por definir as áreas de monitoramento para ações de defesa ambiental. O Gipam é coordenado pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), órgão subordinado ao Ministério da Defesa.

São utilizados mecanismos de sensoriamento remoto, como satélites, radares e aerolevantamento, para a seleção das regiões alvo.

A atuação dos militares na Operação Verde Brasil 2 permite levar a presença do Estado a diversas regiões em curto espaço de tempo. Assim, o emprego de meios, como helicópteros, aeronaves diversas, navios, embarcações, viaturas, e o estabelecimento de bases avançadas de apoio permitem a mais ampla atuação possível aos agentes ambientais.

Operação Verde Brasil 2 completa 6 meses de atuação

Operação Verde Brasil 2

A Operação Verde Brasil 2 foi deflagrada em 11 de maio de 2020 para o combate aos focos de incêndio, desmatamento e garimpo ilegal na região da Amazônia Legal.

A missão é coordenada pelo Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa e conta com o apoio do Comando Conjunto Norte (CCjN), do Comando Conjunto Amazônia (CCjA), do Comando Conjunto Oeste (CCjO) e do Comando de Operações Aeroespaciais (Comae), da Força Aérea Brasileira (FAB).

A Verde Brasil 2 também é um trabalho integrado com agentes da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Força Nacional de Segurança Pública, da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Além de membros do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio).


Com informações do Ministério da Defesa