Notícias

Amazônia

Operação Verde Brasil 2 ultrapassou R$ 520 milhões em aplicação de multas

Em programa de rádio semanal, o vice-presidente disse que a operação é um exemplo do cuidado do país com a Amazônia
Publicado em 31/08/2020 17h16
Operação Verde Brasil 2 ultrapassou R$ 520 milhões em aplicação de multas

Combatendo e reprimindo os crimes ambientais na região, Operação Verde Brasil 2 já aplicou mais de R$ 520 milhões em multas. - Foto: Agência Brasil

Nos últimos dias, a Operação Verde Brasil 2, do Ministério da Defesa, que atua para combater e reprimir delitos ambientais na Amazônia Legal, intensificou a aplicação de multas por crimes ambientais na região. A informação foi divulgada no programa semanal de rádio “Por Dentro da Amazônia”, com o vice-presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, Hamilton Mourão. A edição desta segunda-feira (31) contou com a participação do Almirante Fuzileiro Naval Carlos Chagas, porta-voz da Operação Verde Brasil 2.

“Com essa intensificação das ações nos últimos dias, nós passamos dos R$ 440 milhões para R$ 520 milhões, ou seja, 15% a mais de multas aplicadas. As Forças Armadas, de forma integrada com as agências de segurança públicas e também com as agências ambientais, têm trabalhado muito forte para que esses resultados sejam alcançados”, disse o Almirante Fuzileiro Naval Carlos Chagas.

Segundo ele, nesta operação, os resultados superam os resultados obtidos na Verde Brasil 1, realizada no ano passado. “Os resultados da Verde Brasil 2 superam em mais de três vezes os resultados da nossa Verde Brasil 1, do ano passado. Então, o prognostico é bom. Um dos grandes diferenciais dessa operação, realmente é a integração”, acrescentou Carlos Chagas.

Para o vice-presidente e presidente do Conselho Nacional da Amazônia, Hamilton Mourão, a Verde Brasil é um exemplo de que o Brasil está cuidando da Amazônia.  “Eu ressalto o trabalho e empenho de todas as equipes que estão no terreno integrando a operação Verde Brasil 2. Eu não tenho a mínima dúvida que esse esforço e obviamente a cooperação de todas as pessoas que residem na Amazônia vai se refletir numa redução dos ilícitos ambientais, sendo isso a melhor resposta que o Brasil pode dar à comunidade internacional e às demais pessoas que habitam o nosso país”, disse.

O vice-presidente informou que, na semana passada, teve reuniões para tratar da questão da regularização fundiária na região. “E espero, dentro em breve, transmitir notícias positivas para todos aqueles que anseiam em receber o seu título de terra e, a partir daí, terem condições de acesso a financiamento e, obviamente, à assistência técnica rural. Com isso, aumentando a sua produtividade”, disse Mourão.

E reforçou a importância de todos serem vigilantes e denunciarem focos de incêndio na região. “Para informar sobre incêndio, ligue 193 para os Bombeiros, e, para queimadas rurais, denuncie no 09800618080 e pelo nosso aplicativo Guardiões da Amazônia”.

A Operação Verde Brasil 2 que começou em 11 de maio está no escopo do Conselho Nacional da Amazônia (CNA), conselho regulado pela Vice-Presidência da República em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública.

Onze organizações atuam em parceria com as Forças Armadas na Operação Verde Brasil 2. São elas: Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam); Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio); e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Também fazem parte da operação o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe); a Fundação Nacional do Índio (Funai); Polícia Federal; Polícia Rodoviária Federal; Agência Brasileira de Inteligência (Abin); o Serviço Florestal Brasileiro e a Agência Nacional de Mineração.

 
Balanço Operação Verde Brasil 2

 
Segundo balanço divulgado pelo Ministério da Defesa na última quarta-feira (26), a operação Verde Brasil 2 já realizou 26 mil inspeções navais e terrestres e 712 apreensões na Amazônia Legal. Nos postos de bloqueio e controle de estradas, foram retidos 211 veículos por irregularidades. Um total de 28,7 mil metros cúbicos de madeira ilegal também foi confiscado; e apreendidas 791 máquinas de serraria móvel, tratores, maquinário de mineração, balsas, dragas e acessórios. Mais de R$ 520,8 milhões foram aplicados em multas e termos de infração.