Notícias

#NavegarNumaBoa

Internet mais segura: campanha orienta pais sobre navegação segura

A ideia é reforçar o diálogo entre pais e filhos e evitar os perigos que a internet pode trazer para dentro de casa
Publicado em 17/11/2020 09h21
Internet mais segura: campanha orienta pais sobre navegação segura

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos lançou a campanha “Navegar Numa Boa”, que está sendo veiculada na TV, rádio e internet - Foto: Divulgação SNF/MMFH

Proteger crianças e adolescentes contra crimes na internet tem sido uma das prioridades do Governo Federal. Com esse objetivo, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou dicas sobre o uso compartilhado das redes sociais, como o Facebook e o Twitter.

De acordo com a Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, foram registradas, em 14 anos, mais de 1,6 milhão de denúncias anônimas de pornografia infantil no universo digital. Casos de pedofilia e aliciamento de menores são outro problema associado aos perigos do mau uso da tecnologia e que tem desafiado as autoridades. As informações são do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que reforça a importância do diálogo constante entre pais e filhos sobre o uso e as regras da tecnologia das redes sociais.

Para saber mais, você pode conferir no Portal para Mães e Pais, disponibilizado pelo Facebook. 

Confira algumas das dicas divulgadas pelo ministério:

- O Facebook tem um link de segurança, uma espécie de central de ajuda, com ferramentas e ações específicas para mães, pais e jovens.

- Para ser usuário do Facebook, é preciso ter, no mínimo, 13 anos.

- Outra recomendação reforçada pelo ministério é usar senhas fortes; e denunciar conteúdos impróprios nas redes sociais que integram a lista de publicações.

- Outra dica voltada para crianças e adolescentes é: Não divulgar detalhes pessoais, como idade, endereço e escola. E lembre-se de que você não sabe quem pode estar por trás da outra conta.

- O Twitter também oferece ferramentas, controles e mecanismos para fazer denúncias. E disponibiliza a cartilha “Ensinar e aprender com o Twitter”.

- E atenção: Podem ser denunciados casos, na internet, de terrorismo, exploração sexual de crianças e adolescentes, violência, assédio, propagação de ódio, falsa identidade, suicídio, automutilação e nudez não consensual, entre outras práticas ilegais.

- Para alertar os menores sobre os perigos nas redes sociais, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos também disponibiliza a cartilha "Proteção de crianças e adolescentes na internet - recomendações para pais e responsáveis". É um guia de proteção que aborda ferramentas de controle de acessos, riscos e perigos do uso inseguro da internet.

Campanha

Também para conscientizar famílias sobre os riscos de exposição de crianças e adolescentes na internet, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos lançou, recentemente, a campanha “Navegar Numa Boa”, que está sendo veiculada na TV, rádio e internet.

A iniciativa foca na prevenção de abusos e outras práticas nocivas ou criminosas no meio virtual. Também incentiva crianças e adolescentes a cuidarem da privacidade e intimidade.

“A campanha Navegar Numa Boa visa a uma ampla conscientização dos pais sobre o conteúdo que chega a seus filhos através da internet, como, por exemplo, a pornografia, a pedofilia, a automutilação, o suicídio. Muitas vezes, absolutamente desconhecido pelos pais”, explica a secretária nacional da Família, Angela Gandra.

Segundo Angela Gandra, o principal público da campanha são os pais. “Mas as crianças também serão beneficiadas. Por isso, o material é bastante leve e acessível”, finaliza.

Veja o site da campanha

Veja o vídeo da campanha

Canais de denúncia

Outro foco da campanha é a divulgação dos canais de denúncia existentes, como o Disque 100, o Ligue 180, o site da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, e também o número de WhatsApp da Ouvidoria (61) 99656-5008.