Notícias

Governo Digital

Portal gov.br já tem mil serviços públicos digitalizados para acesso do cidadão

Com a estratégia, a estimativa de economia em cinco anos, de 2020 a 2025, é de R$ 38 bilhões
Publicado em 15/10/2020 12h12
Portal gov.br já tem mil serviços públicos digitalizados para acesso do cidadão

A meta do governo é digitalizar 100% dos 3,8 mil serviços públicos federais até 2022. - Foto: Ilustração

O portal único do Governo Federal, o gov.br, atingiu a marca de mil serviços públicos ofertados à população de forma digital em menos de dois anos. A meta estava prevista para o fim de 2020. São serviços que antes eram acessíveis em canal presencial, o cidadão tinha que se deslocar, pegar um transporte, ficar na fila, retirar senha. Agora, estão disponíveis na “palma da mão”, por meio de um celular ou computador.

Atualmente, 81,2 milhões de pessoas são usuárias do gov.br. O número de acessos ao portal teve um salto, passando de uma média de quatro milhões mensais, em janeiro deste ano, para os atuais 15 milhões, em setembro.

Pelo gov.br é possível solicitar, por exemplo, a carteira de trabalho, a carteira digital de trânsito, o seguro desemprego e a aposentadoria por tempo de contribuição. Com a Covid-19, a inscrição no cadastro único para programas sociais do Governo Federal, a solicitação do auxílio emergencial e do seguro desemprego ficaram entre os serviços mais solicitados.

A meta do governo é digitalizar 100% dos 3,8 mil serviços públicos federais até 2022. “A transformação digital é uma prioridade desse governo. Na nossa estratégia, até o final da gestão, em 2022, teremos todos os serviços federais totalmente digitais na palma da mão de todos os brasileiros”, disse o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luiz Felipe Monteiro.

O secretário destacou que com o gov.br todos saem ganhando. “Ganha o Governo, que entrega os serviços de forma mais eficiente, mais barata para o cidadão. Ganha o cidadão conectado, que acessa, no conforto do seu lar, a qualquer hora do dia, os serviços públicos”, ressaltou.

“Também ganha aquele cidadão que, por opção ou por falta de acesso, não conseguiu encontrar o Governo nos canais digitais. Nesse caso, as agências presenciais estarão muito mais confortáveis porque boa parte da população atendida migrou para o canal digital”, completou Luiz Felipe Monteiro.

Avanços na digitalização

Com a Covid-19, a transformação de serviços em digital foi acelerada. Foram incluídos mais de 400 serviços desde o início desse período, trazendo benefícios para toda a população. Os serviços do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) são exemplos do avanço na digitalização.

Além de ter sido priorizado no processo de transformação digital do governo, o INSS vem trabalhando para entregar serviços que eliminem cada vez mais as exigências aos beneficiários.
Desde agosto, está em curso um projeto-piloto para que os aposentados realizem a prova de vida, exigida anualmente, de forma on-line, pelo reconhecimento facial do gov.br.

Estratégia Digital

A digitalização de serviços públicos faz parte da Estratégia de Governo Digital. Dos cerca de R$ 2 bilhões poupados com a transformação digital, R$ 1,5 bilhão é economia para sociedade ao eliminar a necessidade do usuário ir até as agências dos órgãos públicos, gastar com transporte e dispor de tempo, por exemplo.

Os outros cerca de R$ 500 milhões são de economia para o Governo ao eliminar a burocracia, reduzir o uso de papel, de contratação de pessoal para atendimento presencial e redução de perdas com erros e fraudes. Com a estratégia, a estimativa de economia em cinco anos, de 2020 a 2025, é de R$ 38 bilhões.

Pelos cálculos do governo, por ano, aproximadamente 150 milhões de horas são economizadas pelos cidadãos com a redução de burocracia e descolamentos. Isso equivale a um dia inteiro de trabalho de toda a população economicamente ativa da grande São Paulo. No mesmo período, cerca de 88 milhões de atendimentos deixam de ser presenciais nas agências de órgãos públicos.