Notícias

PIRLS

Estudantes brasileiros participam da principal avaliação internacional de leitura

Pela primeira vez, Brasil participa do principal estudo internacional sobre literacia de leitura
Publicado em 23/11/2021 17h46

Nesta terça-feira, 23 de novembro, começa a aplicação do Progress in International Reading Literacy Study (PIRLS). Cerca de 6.300 estudantes do 4º ano do ensino fundamental de 193 escolas (públicas e privadas) de todas as regiões do Brasil responderão às provas e aos questionários. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) realizará a avaliação até o dia 3 de dezembro. É a primeira vez que estudantes brasileiros participam do principal estudo internacional de avaliação da literacia de leitura.

Público-alvo

O PIRLS avalia a literacia de leitura dos alunos do 4º ano do ensino fundamental. Nesse período da trajetória escolar, os alunos já devem ter aprendido a ler, visto que passam a utilizar a leitura como instrumento de aprendizagem.

Resultados 

Não serão divulgados resultados individuais. O objetivo é avaliar a leitura dos estudantes, por meio de quatro processos gerais de compreensão de texto. O estudo (que ocorrerá de forma amostral) possibilitará um diagnóstico, inclusive em termos comparativos, entre os 68 países ou regiões administrativas especiais participantes.

PIRLS 

A avaliação das habilidades de literacia de leitura pelo PIRLS contempla dois eixos: a experiência literária e a aquisição e o uso de informação. Os resultados também consideram fatores contextuais, que podem influenciar o desempenho dos estudantes. Essa contextualização é feita por meio de questionários que são respondidos pelos próprios estudantes, professores e diretores, além de pais ou responsáveis.

O estudo é realizado, a cada cinco anos, pela International Association for the Evaluation of Educational Achievement (IEA), cooperativa internacional de instituições de pesquisa, acadêmicos e analistas que trabalham para avaliar, entender e melhorar a educação em todo o mundo.

Com informações do Ministério da Educação