Notícias

SecomVc

Secretaria trabalha na implementação de políticas para a alfabetização de crianças, jovens e adultos

Desde a criação, a Sealf lançou diversos programas e cursos que incentivam a leitura e a escrita
Publicado em 07/06/2021 19h36
Secretaria trabalha na implementação de políticas para a alfabetização de crianças, jovens e adultos

Criada na atual gestão, a Sealf coordena a elaboração de currículos e de materiais - Foto: Agência Brasil

A Secretaria de Alfabetização (Sealf), do Ministério da Educação (MEC), atua no planejamento, orientação, coordenação e implementação de políticas para a alfabetização de crianças, jovens e adultos. A Sealf também viabiliza a cooperação técnica e financeira entre a União, os estados, os municípios, o Distrito Federal e os organismos nacionais e internacionais.

O secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, afirma que a Sealf trabalha continuamente para apresentar à sociedade brasileira ações e programas que visam a melhorar a qualidade da alfabetização em todo o território nacional. "Somente com o trabalho colaborativo de famílias, professores, escolas, redes de ensino e poder público será possível elevar a qualidade da alfabetização no Brasil.”

Criada na atual gestão, a Sealf coordena a elaboração de currículos e de materiais para a implementação de métodos eficazes de alfabetização, e também apoia a criação de programas de formação de professores alfabetizadores e as ações que incentivam a leitura e a escrita. Com apenas dois anos de existência, a Sealf trabalhou para:

Instituir a Política Nacional de Alfabetização (PNA), que busca elevar a qualidade da alfabetização e combater o analfabetismo em todo o território brasileiro;

o Brasil aderir ao Progress in International Reading Literacy Study (Pirls), importante estudo de avaliação internacional de leitura;

Promover a I Conferência Nacional de Alfabetização Baseada em Evidências (Conabe);

Publicar o edital do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) 2022, Educação Infantil, que tem por objeto a aquisição de livros e de materiais didáticos para as escolas da Educação Básica pública das redes federal, estaduais, municipais e distrital;

Criar a comissão para alfabetização no Conselho Nacional de Educação (CNE);

Publicar o edital do PNLD 2023, Anos Iniciais, que tem por objeto a aquisição de obras didáticas, literárias e pedagógicas destinadas aos estudantes, professores e gestores das escolas; e

Publicar o Relatório Nacional de Alfabetização Baseada em Evidências (Renabe).

Além dos documentos disponibilizados e das políticas instituídas, a Sealf lançou dois programas que incentivam a leitura e a escrita, dão apoio pedagógico para a alfabetização e trabalham na formação continuada e na valorização de profissionais da alfabetização: o Tempo de Aprender, programa de alfabetização abrangente, cujo propósito é enfrentar as principais causas das deficiências da alfabetização no país; e o Conta pra Mim, que tem como objetivo a ampla promoção da Literacia Familiar.

Em parceria com o Instituto do Cérebro (InsCer), a Sealf lançou também, no Brasil, o GraphoGame, aplicativo finlandês que ajuda estudantes da pré-escola e dos anos iniciais do ensino fundamental a aprender a ler as primeiras letras, sílabas e palavras, com sons e instruções em português brasileiro.

Também foram lançados os cursos: Práticas de Alfabetização, em que são apresentadas estratégias de ensino, atividades e avaliações formativas destinadas ao 1º e ao 2º ano do ensino fundamental, baseadas em evidências científicas e voltadas à sala de aula; Práticas de Produção de Texto, disponibilizado para todo cidadão interessado, especialmente professores; e Alfabetização Baseada na Ciência (ABC), em parceria com renomadas instituições portuguesas, que visa a atualizar os conhecimentos dos professores alfabetizadores sobre o ensino da leitura e da escrita a crianças nos primeiros anos de escolaridade no Brasil.

 


Com informações do Ministério da Educação