Notícias

FIES

50 mil vagas serão ofertadas em novo processo do Fies

Cada candidato poderá concorrer a uma vaga das 50 mil remanescentes
Publicado em 16/09/2020 16h50
50 mil vagas serão ofertadas em novo processo do Fies

Os candidatos deverão se inscrever, exclusivamente, pela página do Fies - Foto: Banco de Imagem

 

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que financia estudos em cursos superiores, abrirá um processo para o preenchimento de cerca de 50 mil vagas remanescentes, ou seja, aquelas não preenchidas nas edições dos processos seletivos regulares de 2020. Cada candidato poderá concorrer a uma vaga, podendo optar por até três cursos diferentes.


Esta é mais uma opção para os candidatos que buscam uma oportunidade de acesso ao nível superior ou àqueles que já estão estudando, mas não conseguem arcar com os custos da mensalidade.


As regras para ocupar essas vagas estão definidas na Portaria No 756, publicada nesta quarta-feira (16), no Diário Oficial da União.


Os candidatos deverão se inscrever, exclusivamente, pela página do Fies. Em breve, será publicado um edital com mais detalhes e com o cronograma da seleção.


Diferente do processo seletivo regular, o processo de ocupação das vagas remanescentes ocorrerá de acordo com a ordem de conclusão das inscrições. Por isso, é importante conhecer as regras dispostas na Portaria, e que também constarão no edital que será publicado em breve.
É importante destacar que o candidato que precisar alterar alguma informação na inscrição já concluída terá que pedir o cancelamento dela e fazer uma nova inscrição. Deste modo, ele levará mais tempo para concluir o processo e, por isso, ficará atrás de candidatos que se inscreveram com as informações definitivas.


Critérios


Para se inscrever, é necessário ter participado de uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, ter obtido no mínimo 450 pontos na média das cinco provas do Exame, além de nota superior a zero na redação do Enem e possuir renda mensal bruta de até três salários mínimos por pessoa da família.

Com informações do Ministério da Educação.