Notícias

covid-19

Capes libera mais 850 bolsas de estudo sobre epidemias

Pacote inclui, ao todo, 2,6 mil bolsas. Programa estimula a pesquisa no País em áreas de exatas e de saúde
Publicado em 16/04/2020 20h32
Capes libera mais 850 bolsas de estudo sobre epidemias

Programa Estratégico de Prevenção e Combate a Surtos, Endemias, Epidemias investe R$ 200 milhões em pesquisas. - Foto: Sayonara Moreno/Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC), por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), liberou na quarta-feira (15) mais 850 bolsas pelo Programa Estratégico de Prevenção e Combate a Surtos, Endemias e Epidemias. Pacote inclui, ao todo, 2,6 mil bolsas. Com isso, todas as linhas de pesquisa já foram disponibilizadas.

Das 850 vagas, 300 são para cursos de exatas, tecnologia e multidisciplinares (destinadas aos cursos com notas 5, 6 e 7, as mais altas na avaliação da Capes) e 550 para projetos sobre reposicionamento e desenvolvimento de fármacos, produtos imunológicos, telemedicina e análise avançada de dados médicos.

A expectativa é que as pesquisas ajudem no desenvolvimento de tecnologias, equipamentos de proteção individual (EPIs) e monitoramento e mapeamento de surtos. Além dos 30 projetos de pesquisas, anunciados no dia 2 de abril, com investimento de R$ 345 mil por ação, a instituição vai permitir mais 57 propostas extras – com ajuda de custeio no valor de R$ 100 mil, cada.

Os temas incluem:

    • Reposicionamento de fármacos;
    • Desenvolvimento de vacinas e produtos imunobiológicos ;
    • Desenvolvimento de modelos animais e ensaios in vitro para o estudo do SARS-CoV-2;
    • Protótipos de fármacos antivirais, estudos e desenvolvimento de testes rápidos para o novo coronavírus ; e
    • Detecção da doença em animais e as inter-relações com humanos.

 

Os pesquisadores deverão desenvolver sistemas inteligentes para auxiliar consultas e tomadas de decisões médicas de forma remota, processamento de imagens e reconhecimento de padrões na interpretação de exames, ferramentas para diagnóstico e técnicas de análise de dados e inteligência artificial, além de outras para monitoramento, controle e prevenção de endemias e epidemias. “Formar mestres e doutores na grande área de Ciências da Vida é fundamental na contribuição da saúde coletiva e prevenção de doenças infecciosas em geral que afetam há anos o Brasil”, afirma o presidente da Capes, Benedito Aguiar.

O conjunto de ações de apoio a projetos, via editais, e as ações emergenciais, compõem o Programa Estratégico de Prevenção e Combate a Surtos, Endemias, Epidemias e importam em investimento de R$ 200 milhões e distribuição de 2,6 mil bolsas de estudo. O programa de combate às epidemias faz parte de uma série de esforços do Governo Federal na contenção da disseminação do vírus pelo País. Com a iniciativa, será possível preparar a comunidade científica para trabalhar em soluções para situações-limite. 

Com informações do Ministério da Educação