Notícias

ALTO RENDIMENTO

Bolsa Atleta encerra fase de inscrições com quase 7,5 mil inscritos

Expectativa é de que, encerrada a análise das documentações, número de beneficiários estabeleça um novo recorde do programa do Governo Federal
Publicado em 17/02/2021 14h42 Atualizado em 17/02/2021 15h52
Bolsa Atleta encerra fase de inscrições com quase 7,5 mil inscritos

Inscrições foram feitas em mais de 70 modalidades olímpicas e paralímpicas. - Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

A fase de inscrições do edital 2021 do Bolsa Atleta foi encerrada nessa segunda-feira (15). Em um ano marcado pela inovação tecnológica, com um novo sistema que permitiu o envio de toda a documentação de forma on-line, o programa registrou um número expressivo de inscritos em modalidades olímpicas e paralímpicas: 7.427 atletas.

“O total de inscritos deste ano só não é superior ao edital de 2019, quando 7.660 atletas se inscreveram”, comparou Mosiah Rodrigues, coordenador-geral do Bolsa Atleta. “Mas, naquele ano, a inscrição era aberta, ou seja, não era preciso comprovar resultados que posteriormente garantiriam o direito ao benefício no ato da inscrição. Agora, com o novo sistema, um cadastro prévio de CPF já delimita quem tem direito a se inscrever, de acordo com os resultados chancelados pelas confederações esportivas. Com isso, esperamos que o número final de beneficiários seja bem próximo do número de inscritos”, explicou Mosiah.

“Foram quase 7.500 inscritos, de mais de 70 modalidades olímpicas e paralímpicas, um número incrível, e agora vamos partir para a próxima fase, de análise das documentações. Nossa expectativa é superar os 6.357 contemplados em 2019 e estabelecer um novo recorde de um único edital do Bolsa Atleta”, afirmou Bruno Souza, secretário Nacional de Alto Rendimento (SNEAR) da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania.

O programa recebeu 521 inscritos na categoria Estudantil, 325 na categoria de Base, 4.971 na Nacional, 1.221 na Internacional e 389 na categoria Olímpico/paralímpico. Atletas de todas as 27 unidades da Federação manifestaram interesse no programa e São Paulo foi quem mais teve inscrições, com 2.449 atletas, seguido de Rio de Janeiro (880), Paraná (655), Santa Catarina (498), Minas Gerais (484) e Rio Grande do Sul (433). Na divisão por regiões, são 3.924 da Sudeste, 1.586 da Sul, 1.111 da Nordeste, 524 da Centro-Oeste e 282 da Norte. Dos 7.427 inscritos, 4.248 são homens e 3.179, mulheres.

No total, atletas de 72 modalidades, entre olímpicas e paralímpicas, de verão e de inverno, efetuaram as inscrições. O atletismo paralímpico lidera, com 540 inscritos, seguido do atletismo olímpico (524), handebol (347), taekwondo (335), natação (321), beisebol e softbol (302), judô (278), tiro esportivo (264), rúgbi de 7 (257), natação paralímpica (249) e polo aquático (210). Do total de inscritos, 5.795 (78%) são atletas de esportes olímpicos e 1.632 (22%) são de modalidades paralímpicas.

Este ano, a previsão orçamentária para o Bolsa Atleta é de R$ 145 milhões, a maior desde 2014 e superior, inclusive, ao investimento do programa em 2016, ano dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, quando foram aplicados R$ 143 milhões.

O programa

O Bolsa Atleta é um dos maiores programas do mundo de patrocínio direto ao atleta e apresenta resultados fundamentais para o esporte brasileiro. Desde a criação, em 2005, já foram concedidas mais de 69,5 mil bolsas para 27 mil atletas de todo o país. O valor destinado pelo programa desde a implantação supera a marca de R$ 1,2 bilhão.

São cinco categorias de benefícios: atleta de Base, com valor mensal de R$ 370, Estudantil (R$ 370), Nacional (R$ 925), Internacional (R$ 1.850) e atleta olímpico/paralímpico (R$ 3.100).

 

Com informações do Ministério da Cidadania